EAMES: Atendimento remoto aos idosos e apoio psicológico aos Aprendizes durante o Isolamento Social

Gravação de vídeo de exercícios para o grupo de veteranos com o SG-EP Renato
A Escola de Aprendizes-Marinheiros do Espírito Santo (EAMES) reforça o contato com o público por meio remoto em tempos de pandemia. O suporte prestado aos idosos, veteranos e seus dependentes, que por pertencerem ao grupo de risco, tiveram suas atividades coletivas, coordenadas pelo Núcleo de Assistência Social (NAS), suspensas.
 
Como alternativa para manter o projeto “Vida ativa para os veteranos”, está sendo usado um grupo de WhatsApp para aproximar o contato e transmitir orientações e informações disponibilizadas pelos canais do Saúde Naval e pelo Serviço de Assistência Religiosa da Marinha (SARM).
 
Além disso, a equipe do NAS/EAMES, em parceria com militar da área de Educação Física, realiza a produção de vídeos com exercícios físicos simples e que estimulam a prática do movimento, mesmo estando em casa. Estes vídeos são encaminhados no grupo semanalmente com uma boa aceitação dos participantes, “Todas as postagens estão sendo bastante proveitosas nesse momento em que estamos neste isolamento social. O apoio religioso, os exercícios, as informações de funcionamento, enfim, tudo muito importante para a nossa vida física e espiritual. Qualquer pouco neste momento está sendo muito importante”, explica Sonia Regina Werneck Viana Goldner, dependente de veterano e participante do projeto.
 
Como forma de ampliar o suporte psicológico aos alunos, a ação "Cine, Jacuba e Pipoca", feita regularmente, foi adaptada para ambiente aberto e com todas as medidas de prevenção recomendadas pelos órgãos de saúde. Semanalmente, um pelotão é reunido para uma roda de conversa sobre as principais angústias e emoções vivenciadas por conta do aquartelamento. “Um dos pontos positivos é exatamente o Corpo de Alunos sair por um momento da rotina. A interação social e a forma de como se estivéssemos no cinema é incrível, ainda mais em tempos de isolamento por conta do Covid-19”, disse o Aprendiz-Marinheiro Alessandro Holanda Pereira Júnior.