Marinha Participa da 69ª Reunião Anual da SBPC

     O primeiro Simulador de Passadiço Nacional; maquetes de Navios de Pesquisa, do Submarino Nuclear e da Estação Antártica “Comandante Ferraz”; e uma Oficina de “Nós de Marinheiro” foram algumas das atrações do Estande da Marinha no Evento, que ocorreu no período de 16 a 22 de julho, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e contou com um público estimado em 60 mil visitantes.

Mesa Diretora da Solenidade de Abertura do Evento

     A Marinha participou da 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o maior Evento científico-tecnológico da América Latina, sob a coordenação da Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM), apresentando Projetos de Ciência, Tecnologia e Inovação, na ExpoT&C; ministrando Conferência e Palestra,  e compondo Mesa-Redonda, na agenda da Programação Técnica.

 

O Presidente da Academia Brasileira de Ciências, Dr Luiz Davidovich,
conhece o Simulador de Passadiço

 

     O Estande da Marinha, um dos mais visitados, recebeu cerca de mil pessoas por dia. Nele, o público pôde experimentar a sensação de “navegar” com o primeiro Simulador de Passadiço Nacional, desenvolvido pelo Centro de Análises de Sistemas Navais (CASNAV), e conhecer os Projetos: Centro Integrado de Sensores e Navegação Eletrônica (CISNE); e Sistema de Detecção, Acompanhamento e Classificação de Contatos (SDAC), desenvolvidos pelo Instituto de Pesquisas da Marinha (IPqM).

 

O Presidente do CNPq, Dr Mário Neto, é apresentado ao PROSUB

 

     Por sua vez, o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo atraiu a atenção dos visitantes ao apresentar o Programa Nuclear da Marinha (PNM) e o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), por meio de explicações  didáticas, de tótem interativo e da exposição das maquetes: do Submarino Nuclear; do Reator; do Elemento Combustível; e do Painel de Equivalência.

 

A Deputada Jô Moraes, integrante da Frente Parlamentar de Apoio ao
PROANTAR, visita o Estande da Marinha

 

     A Secretaria da Comissão Interministerial para Recursos do Mar (SECIRM) apresentou o Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), por meio da Exposição composta por materiais utilizados no apoio às pesquisas realizadas naquela região, como as maquetes: da nova Estação Antártica Comandante Ferraz; do Navio de Apoio Oceanográfico “Ary Rongel”; do Navio Polar “Maximiano”; além de manequins com vestimentas especiais usadas na Antártica e até uma moto de neve (snowmobile). A SECIRM, também, apresentou o Tema "Amazônia Azul", com maquetes da Estação Científica do Arquipélago de São Pedro e São Paulo e do Navio-Patrulha Oceânico “Amazonas”.

     Compondo a Programação Técnica do Evento, assuntos afetos à área nuclear, como: a Conferência "Submarino Nuclear e Desafios Estratégicos do Brasil", ministrada pelo Capitão de Mar e Guerra José Augusto; a mesa-redonda "As Aplicações Nucleares no Mundo de Hoje", apresentada pelos Doutores Aldo Malavasi, da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA); Renato Cotta, da Agência Naval de Segurança Nuclear e Qualidade (AgNSNQ); e da Universidade Federal do Rio de Janeiro  (UFRJ), e Tsai Siu Mui, da Universidade de São Paulo (USP); e a palestra "Tecnologia, Inovação e Segurança Marítima no Século XXI: Desafios à Proteção da Amazônia Azul", proferida pelo Capitão de Mar e Guerra William Moreira.

 

O Assessor Técnico Consultivo da AgNSNQ, Dr Renato Cotta,  na mesa-redonda
"As Aplicações Nucleares no Mundo de Hoje"

 

     O Estande da Marinha contou, ainda, com a participação do Laboratório Farmacêutico da Marinha (LFM), que apresentou aos visitantes alguns dos produtos e medicamentos que desenvolve.

 

Visitante conhece o trabalho do Laboratório Farmacêutico da Marinha

 

     A Marinha apresentou ao público, também, a Tinta Ferrugem Protetora, um primer destinado a ser aplicado em aços para a proteção de suas superfícies, desenvolvido a partir de estudos realizados nos Cursos de Mestrado e Doutorado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais, por um oficial da Marinha e por um aluno civil, orientados por professores da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A Tinta Ferrugem Protetora é inovadora: formulada com a ferrugem formada sobre o aço, com o objetivo de igualar o potencial da ferrugem com o da tinta; e única: aproximadamente três vezes mais potente do que os produtos similares encontrados no mercado. Produzida a partir do conhecimento e de tecnologias nacionais, a Tinta Ferrugem Protetora já foi registrada no Brasil, nos EUA e na Europa.

     Além de conhecer um pouco mais sobre o trabalho da nossa Força Naval, o público teve a oportunidade de aprender a confeccionar os famosos “Nós de Marinheiro” e obter informações sobre os Processos Seletivos para Ingresso na Marinha.