Comando do 2º Distrito Naval realiza homenagem a Marinheiros Mortos em Guerra

Em 22 de julho, o Comando do 2º Distrito Naval (Com2ºDN) realizou cerimônia em homenagem à Memória dos Marinheiros Mortos em Guerra. Pela primeira vez, o evento foi realizado no Farol da Barra, conhecido cartão postal da cidade de Salvador, e área marítima adjacente.

Na cerimônia, os Navios-Varredores Albardão, Atalaia e Araçatuba, o Navio-Patrulha Gravataí, o Navio-Balizador Tenente Boanerges e o Aviso de Patrulha Dourado fundearam no entorno do Farol da Barra, onde foi lida a Ordem do Dia alusiva à data, seguida de uma descarga de fuzilaria. Os militares do Aviso de Patrulha Dourado lançaram uma coroa de flores ao mar, enquanto helicóptero da Polícia Militar da Bahia realizava chuva de pétalas de rosa.

Presidida pelo Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante Almir Garnier Santos, a cerimônia contou com a presença de titulares e representações das Organizações Militares da Marinha do Brasil (MB) em Salvador/Aratu, representantes da Associação dos Ex-Combatentes do Estado da Bahia, Soamarinos e autoridades civis e militares.

Em artigo sobre o tema publicado no jornal “A Tarde”, o VAlte Garnier registrou o valor da homenagem para a Marinha do Brasil e as famílias dos marinheiros mortos em guerra. “É sempre tocante celebrar a memória dos bravos combatentes e trabalhadores do mar que tombaram nos conveses sombreados pelo tremular da nossa bandeira verde e amarela. Muitos desses brasileiros tiveram o seu sepulcro nas profundezas do oceano. Seus familiares e irmãos de armas não tiveram direito a velório e nem mesmo a um túmulo para visitar. Eis porque os honramos com flores ao mar”.

A MB realiza a cerimônia, anualmente, por ocasião do aniversário do naufrágio da Corveta “Camaquã”, ocorrido em 21 de julho de 1944, ao final de uma missão de escolta durante a Segunda Guerra Mundial. A data ficou consagrada à memória daqueles que, nas Marinhas de Guerra e Mercante, perderam suas vidas no mar, no estrito cumprimento do dever, em tempos de guerra.

No curso da história, muitos marinheiros brasileiros tombaram em operações de guerra, desde as lutas pela consolidação da Independência até a Segunda Guerra Mundial, incluindo episódios decisivos, como a vitória na Batalha Naval do Riachuelo, na Guerra da Tríplice Aliança.