Marinha do Brasil e Energisa MS inauguram centro de treinamento para capacitação de militares temporários

Descerramento da placa

Descerramento da placa

 

 

    O Comando do 6º Distrito Naval e a Energisa MS firmaram, na tarde do dia 21 de janeiro, Acordo de Cooperação Técnica com objetivo de qualificar militares temporários por meio de cursos de Formação de Eletricistas de Operação e Manutenção em Redes de Distribuição – COMAM, com duração de 240 horas.

     Para qualificação de mão de obra e prática das aulas, foi instalado e inaugurado nas dependências da Base Fluvial de Ladário, Organização Militar subordinada ao Com6ºDN, um centro de treinamento de capacitação. Cerca de 20 militares já devem ser atendidos na primeira turma, que está prevista para começar em abril.

    O projeto faz parte do programa Soldado Cidadão e do projeto Marinheiro Empreendedor, que têm como objetivo capacitar o militar que cumpre o Serviço Militar Obrigatório ou Voluntário, facilitando assim sua inclusão e adequação no mercado de trabalho.

     O diretor-presidente da Energisa MS, Marcelo Vinhaes, ressaltou que o projeto é inédito e importante para os jovens que irão buscar oportunidades no mercado de trabalho após o cumprimento do serviço militar. “Estamos muito felizes com a celebração desse acordo, que começou a ser desenhado há cerca de um ano com a Marinha do Brasil, no intuito de proporcionar a vários jovens um futuro profissional na área de energia elétrica. Percebemos uma carência dessa mão de obra nos municípios de Ladário e Corumbá, então essa parceria será, decerto, um divisor de águas. Estamos muito orgulhosos”.

    Na oportunidade, o Comandante do 6ºDN também destacou a importância de projetos voltados à recolocação de jovens no mercado de trabalho. “Em 2020, por exemplo, o Com6ºDN recebeu o prêmio de melhor gestão do Projeto Soldado Cidadão, coordenado pelo Ministério da Defesa. Reconhecemos, portanto, a dimensão que parcerias como esta podem alcançar, trazendo oportunidades e cidadania para os jovens que chegam aqui e ficam até oito anos. E essa iniciativa para qualificar cabos e marinheiros na área de energia elétrica irá beneficiar não apenas esses militares temporários, mas toda a sociedade brasileira”.