Comando do 6º Distrito Naval participa da Operação Ágata XII

Equipe de Inspeção Naval

Equipe de Inspeção Naval

    Foi realizada, de 14 a 18 de setembro, a Operação ÁGATA PANTANAL XII, uma Operação Conjunta e interagências, iniciativa do Ministério da Defesa, sob coordenação do Comando do 6O Distrito Naval (Com6ODN), em conjunto com o Comando Militar do Oeste (CMO) e apoio dos Órgãos de Segurança Pública e Fiscalização (OSPF): Força Nacional de Segurança Pública, Polícia Federal, Receita Federal, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública – MS, Polícia Militar, Polícia Militar Ambiental e Polícia Civil.

    A Operação se desenvolveu na região de Corumbá, Ladário e Porto Murtinho, abrangendo aproximadamente 600 km de linha de fronteira, e contou com a participação de cerca de 800 militares da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e de agentes dos OSPF, além do emprego de cães farejadores do 3º Batalhão de Operações Ribeirinhas e da 14ª Companhia de Polícia do Exército, de Campo Grande-MS.

    Com emprego de meios navais, terrestres e aéreos das Forças Componentes, foram executadas operações preventivas e repressivas pontuais, tais como patrulhamentos fluviais e terrestres; estabelecimento de postos de bloqueio e controle de estradas e de vias fluviais; revista em embarcações e veículos. Todas as ações foram pautadas no trabalho integrado interagência e no rigoroso respeito aos diplomas legais.

    Além da missão primária de intensificar a presença do Estado na região de fronteira, a Operação promove ações preventivas e repressivas contra delitos transfronteiriços e crimes ambientais, a fim de contribuir para a redução de práticas ilícitas e das ações do crime organizado na região.

    Durante a Operação, foram realizadas vistorias e ações diversas em aproximadamente 110 embarcações fluviais e 2282 veículos leves, caminhões, ônibus, vans, pedestres e bicicletas, além da fiscalização de produtos controlados.
Em pesquisa interna realizada pelo Comando Operacional Conjunto, junto à população local, observou-se que cerca de 95% dos entrevistas consideram a Operação Ágata como “Muito Importante”, e 97% avaliam que a sensação segurança na faixa de fronteira “Aumentou”.

    O Comando Operacional Conjunto destaca que este modelo de atuação coordenada na faixa de fronteira contribui para a segurança da população brasileira, sendo permanente a fiscalização e o trabalho das Forças Armadas e do OSPF na região.