Pedagogas do CIAW visitam escolas na quarta etapa da campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti

Dando prosseguimento às ações de combate ao mosquito Aedes aegypti implementadas em todo o Brasil desde 29 de janeiro por aproximadamente 1.200 Organizações Militares, a Marinha do Brasil realiza entre os dias 15 e 19 de fevereiro a quarta e última etapa desta operação de saúde pública. Nela, o objetivo é reforçar — por meio de visitas e palestras em escolas da rede pública de ensino e particulares — o trabalho de conscientização junto a crianças e adolescentes sobre os riscos e as medidas preventivas contra o referido vetor, transmissor de doenças como a dengue, a febre chinkungunya e do vírus Zika.

Pedagoga do Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW),

a Capitão-Tenente (T) Valéria orienta as crianças sobre os riscos do Aedes aegypti

A Primeiro-Tenente (RM2-T) Alessandra Siqueira, pedagoga do CIAW,

fala para grupo de alunos sobre o ciclo de vida do mosquito

O CIAW, em conjunto com a Diretoria de Ensino da Marinha (DEnsM) e o Serviço de Seleção do Pessoal da Marinha (SSPM), enviou Grupos de Distribuição de Disseminação às escolas do bairro do Engenho Novo e do Cachambi, no Rio de Janeiro, a fim de que, mediante palestras didáticas e lúdicas, o público infantil possa compreender a necessidade do combate a este mosquito.

Oficial do núcleo pedagógico do CIAW, a Primeiro-Tenente (RM2-T) Bernadete

explica às crianças sobre as formas de combate ao Aedes

 

Curiosidade e interação na visita às escolas: alunos tiram suas dúvidas

sobre os métodos de prevenção aos focos do mosquito em suas casas

Concomitantemente a esta quarta fase de conscientização, militares da DEnsM, CIAW e SSPM seguem, entre os dias 15 e 18 de fevereiro, visitando domicílios das ruas do Engenho Novo e do Cachambi pela terceira etapa da operação de combate ao Aedes aegypti. Acompanhados de Agentes de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, eles inspecionaram possíveis focos de proliferação do mosquito nas residências, orientando seus moradores, e, quando preciso, fazendo a aplicação de larvicida.