Navio Doca Multipropósito “Bahia” chega ao Rio de Janeiro

NDM “Bahia” atravessando a Ponte Rio-Niterói

 

O Navio Doca Multipropósito (NDM) “Bahia” chegou à Base Naval do Rio de Janeiro, na última segunda-feira, dia 11 de abril. Familiares e amigos aguardavam pelos militares. O Comandante do navio, o Capitão de Mar e Guerra Luís Felipe Monteiro Serrão, e parte da tripulação estavam fora do Brasil desde outubro de 2015, quando viajaram para a cidade de Toulon, na França. Em terras francesas, os militares passaram por adestramentos para conhecer o navio, até a incorporação do NDM “Bahia” pela Marinha do Brasil, em 17 dezembro de 2015.

Após quase seis meses fora de casa a saudade era grande, mas foi substituída pela alegria do reencontro. “O coração está apertado, cheio de saudade e muito emocionado. Ansiosa para ver o reencontro da nossa filha com o pai”, disse Laila Correa Ferreira, esposa do Cabo (SI) Felippe de Almeida Ferreira.

Quando o Cabo Almeida viajou para a missão, sua filha Alice tinha apenas 15 dias de vida. “Foram seis meses de muita saudade, muito sofrimento. Agora é hora de aproveitar e curtir bastante a bebê, a esposa e a família”, falou emocionado o Cabo Almeida.

Militar reencontra a família após seis meses de comissão

 

Chegada ao Brasil

O navio chegou ao Brasil, no dia 3 de abril, e fez a primeira parada no Porto de Salvador (BA), onde aconteceu uma cerimônia de apresentação do NDM “Bahia” e visitação pública. No dia 7 abril, o “Bahia” iniciou a viagem rumo ao Rio de Janeiro, sede da Esquadra brasileira.

O NDM “Bahia”

O nome do navio é uma homenagem ao estado da Bahia, que possui singular importância para a Marinha por sua posição geográfica mediana em relação ao litoral brasileiro, facilitando o deslocamento e atuação de Forças Navais para Norte/ Nordeste ou para o Sul.

O NDM “Bahia” foi projetado para transportar tropas, veículos, helicópteros e munição, agindo em grandes áreas oceânicas e na proteção de plataformas marítimas de petróleo. Essa é uma forma de contribuir para o emprego do Poder Naval, na defesa das águas jurisdicionais brasileiras, e colaborar com as ações da Marinha realizadas em parceria com os órgãos internacionais e em apoio à política externa do País.

Além disso, o navio possui um complexo hospitalar com 500m² capaz de prestar atendimento médico-odontológico e com acesso direto ao convés de voo principal, permitindo que helicópteros realizem evacuações aeromédicas.

Com essas propriedades, a Marinha do Brasil cumprirá com mais eficiência as missões de apoio à Defesa Civil por ocasião de calamidades públicas, de operações de busca e salvamento, de manutenção da paz e de caráter humanitário.