COMANDO DA TROPA DE DESEMBARQUE

HISTÓRICO

Em cerimônia presidida pelo Exmo Sr. Almirante-de-Esquadra RAYDER ALENCAR DA SILVEIRA, Comandante de Operações Navais, como parte da reestruturação da Força de Fuzileiros da Esquadra, foi ativada no dia 29 de abril. O Comando da Tropa de Desembarque (CmdoTrDbq), criado conforme o Decreto nº 4.619 de 20 de março de 2003.

O CmdoTrDbq está subordinado ao Comando da Força de Fuzileiros da Esquadra, não possui autonomia administrativa, sendo apoiado pela Base de Fuzileiros Navais do Rio Meriti.

Esta nova OM, cujo Comandante possui status de Comandante de Força, nucleará o Componente de Comando (CCmdo) de uma Unidade Anfíbia (UAnf) e do Componente de Combate Terrestre (CCT) de uma Brigada Anfíbia (BAnf).

 

 

HERÁLDICA

DESCRIÇÃO:

Num escudo boleado, encimado pela coroa naval, chefe partido em pala, de azul com silhueta de navio de desembarque-doca, e de verde com espada com lâmina de prata e cabo de ouro apontada para cima, campo de vermelho com dois fuzis de ouro, passados em aspa, com âncora superposta em pala e do mesmo metal.

EXPLICAÇÃO:

O chefe de azul partido de verde evocam os campos de ação militar onde atuam os Fuzileiros Navais. A silhueta do navio de desembarque-doca representa a execução de diversas operações, e a espada alude à missão da Organização Militar em assegurar o exercício de comando aos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais. No cortado de vermelho, esmalte representativo da bravura, denodo e intrepidez, predicados dos Fuzileiros Navais do Brasil, os fuzis e a âncora de ouro assim dispostos constituem seu próprio distintivo.

 

 

MISSÃO

Dotar o componente de comando dos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais de elementos inteiramente voltados ao planejamento e à execução de diversas operações.