Histórico

Com a chegada da Família Real em 1808, fez-se necessária a legalização da farmácia no Brasil. Através do Decreto de 21 de maio de 1808, foi criada uma Botica Militar, contratando o boticário Joaquim José Carvalho e, desde então, havia sempre um boticário contratado pela Marinha Imperial.

Esta Botica foi a precursora dos Laboratórios Farmacêuticos Militares de hoje.

Com a entrada em vigor do Decreto nº58 de 04 de dezembro de 1840, A Botica Militar, passou a funcionar anexa ao Hospital Militar e da Marinha.

 

Pelo Decreto n° 44.898, de 27 de novembro de 1958, teve sua organização e atividades reestruturadas e passou a denominar-se "Laboratório Farmacêutico da Marinha" (LFM). Com a revogação desse Decreto, pelo Decreto n° 83.569, de 12 de junho de 1979, passou a ter suas atividades regulamentadas pela Portaria Ministerial n° 1081, de 13 de junho de 1979. Revogada pela Portaria Ministerial n° 0437, de 13 de junho de 1989, passou a ter sua organização e atividades estruturadas pelo Regulamento aprovado pela Portaria n° 0027, de 22 de junho de 1989, que foi revogada pela de n° 0387, de 18 de setembro de 1998, do Chefe de Estado-Maior da Armada (CEMA).

 

Com a publicação da Portaria Ministerial n° 227, de 15 de setembro de 1998, passou à subordinação do Centro Logístico de Saúde da Marinha (CLSM), passando a ter suas atividades e organização estruturadas pelo Regulamento aprovado pela Portaria n° 0367 de 30 de setembro de 1998.

         Em 1º de  outubro  de  2007,  por  meio  da  Portaria Ministerial nº 241, passou à subordinação  da  Diretoria  de Saúde   da   Marinha.   Finalmente,  passou   a    ter    suas atividades   e organização estruturadas  pelo   Regulamento, aprovado  pela Portaria n° 106, de 11  de  julho  de  2008, do  Diretor  Geral do Pessoal da Marinha.

 

O Laboratório Farmacêutico da Marinha atualmente: