Centro de Atenção Diária - CAD

O Centro de Atenção Diária (CAD) da UISM teve suas atividades iniciadas no ano de 2002, em atendimento ao preconizado na Lei 10.216/2001, que prevê modelo de tratamento aberto, humanizado, com vistas à reabilitação psicossocial. Fruto do incentivo das Voluntárias Cisne Branco e de sua parceria com a iniciativa privada, em dezembro de 2010 foram inauguradas suas novas instalações, a fim de proporcionar maior conforto aos usuários atendidos pelo setor, que passou a ser chamado “Centro de Atenção Diária Jutta Batista da Silva”.
O funcionamento do CAD é baseado na abordagem terapêutica de saúde mental proposta pela Lei da Reforma Psiquiátrica Brasileira, considerando-se também outros documentos relevantes para o trabalho terapêutico realizado:

 

Lei n 10.216 - Reforma Psiquiátrica

Lei n 10708 - Auxilio a Reabilitação

Portaria n 3088 - Instituição da Rede CAPS

Portaria n 106 - Instituição do Serviço Residencial Terapêutico

Portaria n 130 - Redefinição da Rede CAPS de Álcool e outras drogas

Portaria n 2077 - Programa de volta para casa

Lei n 8742 - Lei Orgânica da Assistência Social

Lei n 12435 - Alteração da Lei Orgânica da Assistência Social

O atendimento é voltado para os usuários do Sistema de Saúde da Marinha acima de dezoito anos, portadores de transtornos mentais, com comprometimento de suas habilidades sociais e prejuízo da independência e autonomia, essenciais para o desempenho de suas atividades “de vida diária” e “instrumentais de vida diária”.

*COZINHA TERAPÊUTICA

A oficina objetiva o desenvolvimento da autonomia nas tarefas básicas do cotidiano, valorizando a higiene pessoal e do ambiente em que se vive. As atividades realizadas visam à formação de hábitos e bom relacionamento entre os membros do grupo.

*SAÚDE E BELEZA

A fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes e recuperar sua auto-estima, essa oficina permite a construção do cuidado corporal e reafirma a importância dos hábitos de higiene. A utilização do “salão de beleza” é uma forma terapêutica para melhor observação do processo saúde-doença dos usuários, com foco na ampliação das redes sociais de convívio.

*MARCENARIA

A oficina tem como finalidade oferecer oportunidades para expressão e satisfação das necessidades emocionais básicas e atividades construtivas. Dentro de uma conduta ocupacional, as atividades buscam minimizar a inatividade, por meio da confecção de materiais artesanais.

*COSTURA

A partir da necessidade de realizar pequenos reparos em peças de vestuário, surgiu essa oficina, que reúne, além dos pacientes, familiares voluntários para aprimoramento das atividades desenvolvidas. Atualmente, mais do que colaborar com reparos nas roupas utilizadas pelos pacientes internados, a oficina cria diferentes peças em tecido, utilizadas nos eventos terapêuticos.

*SILK - SCREEN

Com vista na qualificação profissional dentro do setor, essa oficina promove a criatividade, orientação espacial e ampliação de habilidades e destrezas manuais..

*HORTA TERAPÊUTICA

A oficina busca atender à demanda dos pacientes internados e usuários do CAD. Por estimular a capacidade de produção e ensinar noções e técnicas de plantio, é um importante espaço de tratamento, que promove o diálogo e o relaxamento dos pacientes.

*RECICLAGEM E REAPROVEITAMENTO DE MATERIAL

Com objetivo de iniciar uma rotina de trabalho, desenvolver atividades motoras, despertar aptidões e trabalhar a tolerância à frustração, essa oficina utiliza diversos tipos de materiais.

*ESCRITA E INCLUSÃO DIGITAL

Diante da importância da atualização de conhecimentos e aproximação às tecnologias digitais, as atividades desenvolvidas promovem, além da ampliação cultural, o acesso ao computador e às informações atualizadas. A oficina permite a troca de experiências, o aprimoramento lingüístico e a superação dos pacientes no que diz respeito ao analfabetismo digital. Um dos trabalhos de destaque é o Jornal do CAD, que aborda notícias e curiosidades do mundo e da instituição.

*EXPRESSÃO CORPORAL

Um espaço particular de vitalidade, vigor e movimento, essa oficina busca a prevenção contra o sedentarismo que afeta os portadores de doenças mentais. Com incentivo à prática de atividades físicas, os pacientes, a partir de indicação médica, são estimulados a superar desafios, realizando exercícios físicos.

*MUSICOTERAPIA

A utilização da música como terapia para a melhora da saúde proporciona uma comunicação mais adequada com o mundo, sendo o grande destaque desta oficina. Com o objetivo de expandir as trocas verbais e não-verbais, a oficina oferece a oportunidade de vínculo e tratamento que vão além das possibilidades do diálogo. O resultado esperado é a redução do isolamento, a conscientização corporal e vocal, a organização do pensamento e a promoção do bem-estar. Por meio das técnicas desenvolvidas, o paciente desenvolve, ainda, sua sensibilidade e liberdade de expressão.

*CANTINA TERAPÊUTICA

A partir da idéia de criação de um espaço para exposição dos produtos confeccionados nas oficinas do CAD, a “cantina” surgiu com o propósito de desenvolver a autonomia, a convivência social e a comunicação. Através do contato com o material de consumo e do manuseio da moeda corrente, os pacientes treinam atividades de vida prática, como, por exemplo, o cálculo de trocos.

O CAD é formado por profissionais qualificados, com especialização nas seguintes áreas:

- Enfermagem;

- Psiquiatria;

- Psicologia;

- Pedagogia;

- Musicoterapia;

- Terapia Ocupacional;

- Educação Física; e

- Assistência Social.

São realizadas, além das atividades terapêuticas, as seguintes reuniões deliberativas:

- Assembléia Geral: Reunião entre a equipe e os usuários, para discussão de assuntos inerentes ao serviço e demais temas afetos ao grupo.

- Reunião de Equipe: Debate entre os especialistas sobre os assuntos administrativos e rumos terapêuticos para o atendimento dos usuários.

- Reunião de Família: Encontro mensal, envolvendo familiares dos pacientes e profissionais do CAD, com objetivo de estreitar laços entre instituição e família, a fim de oferecer o melhor tratamento aos usuários.

1) Como é realizado o encaminhamento do paciente e a triagem no setor?

O encaminhamento é realizado pelo médico assistente da UISM. O CAD realiza entrevistas estruturadas com o paciente e sua família, a fim de avaliar sua elegibilidade ao tratamento proposto.

2) Como é feita a designação do paciente para as oficinas?

Após a triagem no CAD, o usuário é avaliado quanto à indicação de cada modalidade terapêutica ao seu tratamento e a equipe elabora um projeto terapêutico individualizado.

3) Qual o horário de funcionamento do CAD?

O Centro de Atenção Diária funciona diariamente, das 7h às 18h, com diferentes atividades terapêuticas individuais e coletivas.

4) É possível que o usuário do CAD tenha alta do tratamento?

A alta do CAD é concedida, assim que os objetivos traçados forem atingidos, de modo que o paciente obtenha maior autonomia, participando da vida externa ao hospital de maneira satisfatória.

5) Como é mantido o acompanhamento médico no CAD?

A partir do momento em que o paciente se torna um usuário do setor, passa a ter atendimento com o médico no CAD.