Padres e pastores também podem ingressar na Marinha do Brasil

Você sabia que padres e pastores podem fazer parte da Marinha do Brasil (MB)? É isso mesmo! O ingresso acontece por meio do concurso do Quadro de Capelães Navais (CAPNAV), destinado a homens e mulheres (quando a religião permitir) com mais de 31 e menos de 40 anos e que tenham o curso de Teologia de nível universitário reconhecido por autoridade eclesiástica.

Nos últimos anos, abriram vagas para Sacerdote da Igreja Apostólica Romana, Pastor da Igreja Assembleia de Deus e Pastor da Igreja Batista.

A experiência de ser Capelão Naval

E foi por essa porta de entrada que o Pastor Israel Thiago Trota ingressou na Marinha, no ano de 2016. Ele ficou sabendo do concurso pela internet e fez sua inscrição em 2015. Estudava todos os dias durante três meses, cerca de 6 horas e passou logo de primeira.

Atualmente, no Posto de Primeiro-Tenente, ele serve no Comando-em-Chefe da Esquadra (ComemCh), no Rio de Janeiro, onde realiza celebrações religiosas, estudos bíblicos, atende individualmente militares, entre outras atividades. “Como Capelão, preciso estar acessível à tripulação”, diz.

O Primeiro-Tenente Trota já teve experiências memoráveis sendo pastor da Marinha. No ano de 2017, no domingo de Páscoa, ele realizou uma celebração inter-religiosa na Ilha da Trindade, no litoral do estado do Espírito Santo. No mês de junho, Trota participou da operação militar chamado Sinal Vermelho a bordo do Navio Doca Multipropósito Bahia. No mesmo ano, no período de agosto a outubro, participou de outra operação a bordo do Corveta Barroso na África do Sul e Moçambique.

“Sem dúvidas, o ponto mais especial como Capelão da Marinha aconteceu durante nossa passagem pela capital de Moçambique. Lá, realizamos uma ação cívica social em uma região muito pobre do país, onde fizemos um almoço para 500 crianças carentes junto com os missionários da Associação Amigos da África que fazem um trabalho cristão e humanitário nessa região. Trinta militares me acompanharam nessa experiência magnífica”, relembra ele.

O pastor ainda conta que a diferença entre o religioso da Marinha para o civil está no exercício da inter-religiosidade. “Também atuamos diariamente com militares de outras confissões religiosas, isso proporciona a prática ecumênica. Como capelães, cuidamos de todos os militares respeitando suas crenças pessoais”, expressa ele.

Como é este concurso?

O CAPNAV é composto por prova objetiva, eventos complementares e, por final, o Curso de Formação de Oficiais (CFO).

Os candidatos realizam prova de 50 questões sobre conhecimentos de Teologia e redação. Os aprovados nesta etapa fazem parte dos eventos complementares, que são constituídos por: verificação de Dados Biográficos (VDB), Inspeção de Saúde (IS), Teste de Aptidão Física (corrida e natação – TAF), Avaliação Psicológica (AP), Verificação de Documentos (VD) e Prova de Títulos (PT).

Sendo aprovado em todas as etapas do concurso, o candidato realizará o CFO no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), na cidade do Rio de Janeiro.

Após a formatura, ele será nomeado Primeiro-Tenente recebendo rendimentos brutos de R$ 11 mil reais já contando com adicionais, além de receber diversos benefícios como: alimentação, assistência médico-hospitalar, ajuda para aquisição de uniformes, proventos semelhantes ao da ativa quando tiver na reserva, entre outros.

Por Camila Spínola (Estagiária de Jornalismo)