SERVIÇO DE IDENTIFICAÇÃO DA MARINHA

 

    A sua origem remonta ao naufrágio do Encouraçado Aquidabã, na Baia de Jacuacanga, em Angra dos Reis e, por conseguinte, à instalação do Gabinete de Identificação da Armada, por determinação do então Ministro de Negócios da Marinha, Almirante Alexandrino Faria de Alencar, pelo Aviso n° 312, de 21 de Janeiro de 1908.

 

     A finalidade do Gabinete era a de impedir que assentassem praça, nos estabelecimentos e corpos da Armada, quaisquer indivíduos com maus antecedentes já reconhecidos pela polícia, facilitar a captura de desertores, o reconhecimento dos mortos em acidentes de qualquer natureza, de regularizar a matrícula do pessoal marítimo nas Capitanias dos Portos, e impedir a ocorrência de contravenções de difícil repressão, até então relativamente comuns devido à inexistência de um serviço de identificação.

 

Atualmente, o SIM atua como órgão centralizador da identificação do pessoal e oferece os seguintes produtos: cartão de identidade (informatizado a partir de 1996);

 

  • placa de identificação de campanha;
  • fotografias para documentos;
  • emissão da "Folha 001" da Caderneta Registro; e
  • atendimento para obtenção de identidade civil, por meio de um convênio com o Detran-RJ.

 

     Visando aproximar os seus serviços dos usuários, o SIM mantém doze "Postos Locais de Identificação" (PLIM"), localizados nos Distritos Navais fora da sede, na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, na Escola de Aprendizes de Marinheiros de Santa Catarina, na Escola de Aprendizes do Ceara, na Capitania dos Portos de Pernanbuco e "Equipes Volantes de Identificação" (EVI).

 

     No Estado do Rio de Janeiro, em algumas Organizações Militares, as EVI são apoiadas por uma "Unidade Móvel de Identificação" (UMI) - um microônibus com instalações adaptadas, de modo a permitir o atendimento a quatro usuários simultaneamente.

 

     Em Janeiro de 2008, o SIM mantém em arquivo mais de 630 mil prontuários de militares, servidores civis e aquaviários, ativos e inativos, bem como dos seus dependentes, os quais são, constantemente, objeto de consulta para identificação, justiça, disciplina e direitos.

 

    O SIM ministra em suas instalações o Curso Especial de Identificador Datiloscopista (CESID) e forma anualmente uma nova turma de militares identificadores para atender a Família Naval. O CESID é supervisionado pela Diretoria de Ensino da Marinha e possui a certificação ISO 9001:2015.