Projeto CBPS-UERJ reativa o Módulo Ipanema

PROANTAR

O Centro de Biogeoquímica Polar e Subtropical (CBPS), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), membro do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Criosfera, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuou ao longo de toda OPERANTAR XL, entre outubro 2021 e março 2022.

Durante a primeira fase da missão foi estabelecida toda a infraestrutura para a reativação de mais um laboratório na Antártica visando o monitoramento atmosférico, o Módulo Ipanema, localizado nas imediações da Estação Antártica Comandante Ferraz.

O objetivo principal do trabalho consiste em integrar dados atmosféricos (parâmetros físicos, químicos e microbiológicos), de forma simultânea, com o Módulo Avançado Criosfera 1, localizado na latitude 84°S, próximo ao Polo Sul. A amostragem simultânea entre a Antártica Marítima e a Antártica Central, permite conhecer, com maior nível de detalhamento, os processos biogeoquímicos e ecossistêmicos da Antártica, através do monitoramento da presença de microorganismos no ar, a atividade vulcânica, erosão da crosta terrestre durante eventos de seca severa na América do Sul e os impactos de longa distância das queimadas que ocorrem no Brasil e na Austrália.

Durante a OPERANTAR XL foram instalados sensores de gases do efeito estufa, monitores de aerossóis totais para medidas em tempo real, blackcarbon e bioaerossóis (polen, esporos, diatomáceas, bactérias e fungos na atmosfera).

O Módulo Ipanema também abriga um experimento sobre raios cósmicos e realizará de forma contínua a amostragem de neve na região, como parte complementar ao estudo dos aerossóis e gases de efeito estufa.

Instalação de coletores de aerossóis e neve recente e infraestrutura para bioaerossóis no Módulo Ipanema

 

Integração de dados biogequímicose climáticos entre a Antártica Marítima e o CRIOSFERA 1 no Centro da Antártica.

 

Pesquisador realizando coletas no Módulo Ipanema