Cerimônia marca entrega do laboratório de ensino flutuante Ciências do Mar IV à UFPE

PSRM

Demanda é resultado de estudo desenvolvido no âmbito da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar.

Fotos: Bernardo Sampaio/Ascom UFPE

Reforçar as atividades de ensino e pesquisa dos cursos de graduação e pós-graduação de todas as universidades da Região Nordeste que possuem cursos na área de Ciências do Mar. Este é o objetivo do navio-escola “Laboratório de Ensino Flutuante – Embarcação Ciências do Mar IV”, que já se encontra atracado no cais 6 do Porto do Recife e cuja cerimônia de entrega foi realizada na tarde de ontem (17), em evento que contou com a presença dos reitores das Universidades Federal e Federal Rural de Pernambuco, do Capitão dos Portos de Pernambuco, do presidente do Porto do Recife e de professores e demais membros das duas instituições de ensino.

Para o reitor Alfredo Gomes, da UFPE, a embarcação vai permitir uma ruptura paradigmática do ponto de vista do processo de ensino e aprendizagem, além de promover uma rede de articulação com outras universidades. “Ter um equipamento desse porte, em uma universidade como a UFPE, mas que vai integrar também ações com outras universidades, é muito importante para fortalecer as ações de ensino e de pesquisa de forma integrada e para promover um conhecimento mais aprofundado da costa nordestina”, afirmou. “A sociedade e aqueles que lidam diretamente com o mar, com os recursos hídricos nessa região, só têm a ganhar com esse processo”, completou.

Reitor da UFRPE, o professor Marcelo Carneiro Leão ressaltou a importância da embarcação para as atividades didáticas e de pesquisa. “O aporte deste navio vai oportunizar que a gente, tanto a UFPE como a UFRPE, possam ampliar não somente as atividades de ensino, indo a distâncias maiores com mais segurança para nossos alunos, como também o desenvolvimento de pesquisas. Isso vai dar uma alavancada muito forte nas pesquisas e no ensino, permitindo ampliar as perspectivas de vários cursos da universidade”, disse. O vice-reitor Gabriel Rivas de Melo também esteve presente.

Evento contou com a presença dos reitores da UFPE e da UFRPE, do capitão dos Portos de Pernambuco, do presidente do Porto do Recife e de professores das duas instituições de ensino

Fruto de um Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Porto do Recife e a Universidade Federal de Pernambuco, a embarcação, construída pelo estaleiro cearense Inace, tem 32m de comprimento, calado de 2,7m, capacidade para oito tripulantes e 18 passageiros (alunos e professores), autonomia segura para 15 dias de navegação e está equipada com instrumentos de navegação, segurança e científicos.

A embarcação será gerida pela UFPE – junto com a empresa Ipom Marine – e contribuirá com horas de embarque dos estudantes de graduação em Oceanografia, carga horária exigida para obtenção do diploma; possibilitará aos estudantes dos cursos de graduação e de pós-graduação participarem das aulas teóricas e práticas em campo/mar; dará segurança e estrutura física necessárias aos estudantes embarcados; e fornecerá informações aos estudantes para o desenvolvimento de monografias, dissertações e teses. O Ciências do Mar IV também poderá ser utilizado pelas universidades da Região Nordeste que possuem cursos na área de Ciências do Mar.

“Eu diria que este é um momento histórico para a ciência do mar brasileira. Em particular, para as Ciências do Mar de nossa região Nordeste porque nós vamos poder fazer um aprendizado científico”, avaliou o vice-reitor da UFPE, Moacyr Araújo. “A ideia é que a gente possa juntar a pesquisa ao ensino de forma integrada e também projetos de extensão com essa estrutura que estamos recebendo neste momento”, completou. “O Porto do Recife terá um resultado de informações e de dados muito interessante para sua atividade. Desse convênio, teremos estudos que vão interessar a toda a sociedade e, principalmente, a atividade portuária. Será feito um grande avanço no estudo de mar e de água aqui na região”, disse Carlos Vilar, presidente do Porto do Recife.

Laboratórios Flutuantes – A demanda das embarcações é resultado de um estudo desenvolvido no âmbito da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), por meio da ação PPG-MAR (Formação de Recursos Humanos em Ciência do Mar), iniciado em 2013. A operação dos Laboratórios de Ensino Flutuantes – LEF (Ciências do Mar I, II, III e IV), em cada uma das regiões costeiras do território nacional, representa um importante ponto na formação prática dos estudantes.

Por meio do estudo, constatou-se a importância da experiência embarcada para os estudantes dos diversos cursos em Ciências do Mar. Os resultados foram apresentados ao Ministério da Educação (MEC), que fomentou a compra dos navios.

O MEC liberou recursos financeiros para a construção de quatro Laboratórios de Ensino Flutuantes. No dia 13 de dezembro de 2013, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) o resultado da concorrência nº 007/2013, referente à contratação da empresa para construção das quatro embarcações. Em 19 de fevereiro de 2014, o contrato nº 003/2014 foi assinado na sede da Andifes, em Brasília (DF).

Das quatro embarcações, duas estão atendendo às demandas acadêmicas das instituições localizadas no Sul e Norte do Brasil, sendo as gestoras a Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Uma outra embarcação atende ao Sudeste, com gestão da Universidade Federal Fluminense (UFF). E a quarta e última embarcação atende a região Nordeste, tendo como gestora a UFPE.

As embarcações proporcionam qualificação na formação de recursos humanos na área de Ciências do Mar e a capacitação em outras atividades ligadas aos oceanos, com sólido embasamento teórico e prático, de forma permanente e continuada. A entrada em operação dos Laboratórios de Ensino Flutuantes – LEF (Ciências do Mar I, II, III e IV), baseados em cada uma das regiões costeiras do território nacional, representa um ponto importante na formação prática dos estudantes, que a partir de 2020 passam a dispor dos meios necessários para conhecer e operar uma vasta gama de equipamentos utilizados na coleta, processamento e análise de amostras dos componentes bióticos e abióticos dos oceanos.