PROANTAR prepara a Operação Antártica XXXIX

A Secretaria da CIRM (SECIRM), responsável por gerenciar o Programa Antártico Brasileiro, iniciou os preparativos da Operação Antártica XXXIX

A Secretaria da CIRM (SECIRM), responsável por gerenciar o Programa Antártico Brasileiro, iniciou os preparativos da Operação Antártica XXXIX em abril deste ano, por meio das reuniões da Subcomissão do PROANTAR, quando os resultados da Operação anterior foram apresentados. A análise desses dados permitiu a elaboração de um cronograma operacional e logístico, desta vez um pouco diferente, devido à pandemia do novo coronavírus.

NApOc Ary Rongel durante desembarque de pesquisadores - Fotos: Ricardo Leizer

A OPERANTAR XXXIX, prevista para o período de outubro deste ano a março de 2021, sofrerá alterações. O Navio Polar Almirante Maximiano e o Navio de Apoio Oceanográfico Ary Rangel, desta vez, terão como missão apoiar e abastecer a nova Estação Antártica Comandante Ferraz.

Apoio Logístico à EACF - Fotos: Ricardo Leizer

Os trabalhos de campo dos 22 projetos de pesquisa selecionados pelo PROANTAR, programados para ocorrer entre 2020/21, foram suspensos. Seguindo o exemplo de pesquisadores dos Estados Unidos e da Inglaterra, que também cancelaram as atividades temporariamente, os cientistas brasileiros com projetos selecionados para essa OPERANTAR atuarão dentro de seus laboratórios, trabalhando com amostras coletadas em outras temporadas do Programa, até que a pandemia da COVID-19 esteja controlada.

 

PESQUISAS

Pesquisadores da UnB coletam Bryophyta e Fungos na Ilha Deception - Arquivo: Júlia Viegas

Fruto do Edital nº 21, de 18 de agosto de 2018, que visa contribuir significativamente para a produção científica brasileira de qualidade e para a geração de conhecimentos científicos, tecnológicos e em inovação relacionados à Antártica, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC); a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); e o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), puderam proporcionar a novos grupos de pesquisadores, que há seis anos esperavam por essa oportunidade, a perspectiva de desenvolver projetos na Antártica.

Abastecimento dos Refúgios e Acampamento - Fotos: Ricardo Leizer

 

Conheça os Projetos desta OPERANTAR

1 - Interação gelo marinho-oceano-atmosfera-ondas no setor Atlântico do Oceano Austral e a relação com o Clima da América do Sul - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - ATMOS (INPE);

2 - Conexões bentônicas em altas latitudes do hemisfério sul – BECOOL (USP);

3 - Análise do genoma e avaliação dos potenciais Anticâncer, antimicrobiano e antioxidante de briófitas presentes na Antártica e suas aplicações biotecnológicas – BRIOTECH

4 - Conquistando a Terra Inóspita: Diversidade e Dispersão de Bryophyta e Fungos na Antártica – BRYOANTAR (UNB);

5 - As múltiplas faces do carbono orgânico e metais no ecossistema subantártico: variabilidade espaço-temporal, conexões com fatores ambientais e a transferência entre compartimentos - Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Universidade de São Paulo (USP) - O papel da criosfera no sistema terrestre e as interações com a América do Sul - CARBMET (USP/UFPR);

6 - Variabilidade química e climática nos registros dos testemunhos de gelo da Geleira da Ilha Pine – Manto de Gelo da Antártica Ocidental - Centro Polar e Climático, Instituto de Geociências – CRIOSFERA (Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS/UFF);

7 - Respostas do Ecossistema Pelágico às mudanças climáticas no Oceano Austral - ECOPELAGOS (Universidade Federal do Rio Grande - FURG);

8 - Um novo continente para estudos em saúde (FIOANTAR): Microbiota e Vírus Antárticos, seu potencial patogênico e biotecnológico, e sistemas de detecção de possíveis impactos no futuro para a saúde humana e animal - Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz);

9 - Evolução paleoambiental e paleoclimática da Península Antártica: correlação entre as margens Oriental e Ocidental e América do Sul com base na paleoflora - FLORANTAR (Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro);

10 - Estudo Geofísico da Geleira Pine e da sua Interface Gelo-Rocha - GEOPINE (CPGf/UFPa);

11 - Medicina, Fisiologia e Antropologia Antártica - Sobrevivendo no limite: da Fisiologia de Extremos a gestão da saúde na Antártica - MEDIANTAR (Universidade Federal de Minas Gerais - Instituto de Ciências Biológicas - ICB);

12 - Biocomplexidade e Interações Físico-Químico-Biológicas em Múltiplas Escalas no Atlântico Sudoeste - MEPHYSTO (Departamento de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco - DOCEAN/UFPE);

13 - Esponjas como biosensores de mudanças globais e como fonte para inovação em biotecnologia - MICROBIOMAS (Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ);

14 - Micologia Antártica II: Catálogo de fungos da Antártica para estudos de sistemática, dispersão e conexões com a América do Sul e bioprospecção de substâncias para uso na medicina, indústria e agricultura - MYCOANTAR 2 (Departamento de Microbiologia Instituto de Ciências Biológicas - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);

15 - REDE TERRANTAR: Permafrost, solos, Mudancas Climaticas e teleconexoes na Antartica e Andes meridionais – PERMACLIMA (UFV);

16 - Brio-tecnologia antártica como alternativa para produção de medicamentos – NEVA (Universidade Federal do Pampa);

17 - Paleobiologia e Paleogeografia do Gondwana Sul: Interrelações entre Antártica e América do Sul – PALEOANTAR (Museu Nacional/UFRJ);

18 - Evolução climática do Paleoceno-Mioceno: conexões entre o Oceano Austral e a Peninsula Antártica – PALEOCLIMA (Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS);

19 – Processos de Ventilação Oceânica e Ciclo do Carbono no Norte da Península Antártica – PROVOCCAR (Universidade Federal do Rio Grande (FURG);

20 - Dimensões da Saúde Mental no Isolamento Antártico: Estudos dos Processos Afetivo-Cognitivos, dos Diagnósticos e do Modelo Preventivo e de Assistência Presencial e Remota (Apoio Matricial) – SAUDEANTAR;

21 - Riscos e impactos psicossociais em militares do PROANTAR expostos ao ambiente antártico – POLAR-FH; e

O INCT da CRIOSFERA, possui 8 módulos que realizam pesquisas no âmbito do PROANTAR:

22 - Centro de Estudos de Interações Oceano-Atmosfera-Criosfera – INPE;

22.2 - Centro de Biogeoquímica Polar e Sub-tropical - CBPS (UERJ);

22.3 - Centro de Estudos de Interações Oceano-Atmosfera-Criosfera – CEOAC (INPE);

22.4 - Centro Polar e Climático – CRIOSFERA (UFRGS);

22.5 - Centro TERRANTAR: Permafrost-Criossolos-Ecossistemas Terrestres e mudanças climáticas na Antártica (UFV);

22.6 - Laboratório de Microbiologia Polar – MICROANTAR (UFMG);

22.7 - Grupo de pesquisa sobre o Oceano Austral e o Gelo Marinha – GOAL (FURG);

22.8 - Laboratório de Oceanografia, Clima e Criosfera – LAOC (USP); e

22.9 - Laboratório de Geofísica de Geleiras – LGG (COOPE).