O Dia Mundial do Coração

No Brasil, as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte e respondem por cerca de 1/3 dos óbitos. Dentre elas, destaca-se a doença cardíaca isquêmica. Os fatores de risco principais para o seu desenvolvimento são a hipertensão arterial sistêmica, o diabetes mellitus, o tabagismo, a hereditariedade, o excesso de peso e o sedentarismo.

A abordagem da doença cardíaca isquêmica não deve ser focada apenas no tratamento, mas principalmente na prevenção. Fatores como tabagismo e sedentarismo devem ser eliminados. Mudar hábitos de vida é importante. Para tal são necessários estímulos e motivação. Longevidade é a meta da maioria das pessoas, porém poucos se dispõem a mudar o estilo de vida e adotar hábitos saudáveis, que devem ser iniciados ainda na infância, com alimentação balanceada, controle do peso e atividade física regular.

Alimentação adequada é fundamental para a saúde do seu coração. Consumir peixes mais vezes na semana, castanhas, amêndoas, nozes, frutas, verduras e fibras diariamente vão contribuir na prevenção.

A prática regular de atividade física é uma medida que sabidamente aumenta a sobrevida. É preciso conscientizar a população da importância de se exercitar. No Dia Mundial do Coração deve-se refletir sobre isso. Que o dia 29 de setembro seja um marco, o início de um novo modo de pensar e de agir. Viva a atividade física, viva a saúde, viva a vida!

Acesse também a cartilha “Você cuida do seu coração?” da Sociedade Brasileira de Cardiologia e saiba mais.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia
Colaboração: CF Mônica Luna e CF Márcia Campos – Clínica de Cardiologia do Hospital Naval Marcílio Dias.