O câncer na infância e adolescência

É uma doença rara, porém com evolução rápida e com pouca ou nenhuma influência de fatores de risco ambientais. Isso dificulta a existência de medidas efetivas de prevenção primárias para impedir o desenvolvimento do câncer na faixa etária pediátrica.Os exames de rastreamento, eficazes para a prevenção da doença em adultos, não são efetivos para crianças.

Dessa forma, o diagnóstico precoce é uma medida de prevenção secundária, que possui grande potencial na mudança da realidade para as crianças e adolescentes com câncer, permitindo o tratamento das doenças em estados iniciais, com diminuição das seqüelas e aumentoda chance de cura.

É importante ressaltar que um dos fatores que influenciam fortemente no diagnóstico precoce da doença é a visita periódica ao pediatra, o que permite o estabelecimento de vínculo mais efetivo médico-familiar e a identificação mais precoce dos problemas de saúde.

Por muitas vezes existe dificuldade na identificação do câncer infantil, pois sua apresentação ocorre com sinais e sintomas gerais, comuns a outras doenças mais frequentes. Alguns sintomas, presentes de forma persistente, como vômitos, febre, emagrecimento, palidez, sangramentos anormais, dor óssea ou muscular, dor de cabeça e aumento de gânglios podem sugerir a presença de malignidade na infância e a necessidade de investigação.

A maioria da população normalmente não espera que o câncer possa atingir pessoas com tão pouco tempo de vida. Porém, não há motivo para se ter medo de pensar em câncer infantil, já que a realidade mostra quecom diagnóstico precoce e tratamento específico, toda criança tem chance de cura.

CT(Md) Adriana Leal Luciano da Silva
Pediatra
Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória




Compartilhe