Doação e Transplante de órgãos

Doação de Orgãos

O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na troca de um órgão ou tecido de uma pessoa doente por um órgão ou tecido normal de um doador, seja este vivo ou morto. Alguns órgãos podem ser doados por pessoas vivas (rim, por exemplo), enquanto outros são originados exclusivamente de doadores falecidos. A retirada e doação de órgãos de pessoas falecidas ocorrem apenas após a confirmação da morte encefálica, que nada mais é que a parada irreversível das funções cerebrais, após a qual o restante dos órgãos é mantido funcionando apenas através de aparelhos.

Existem várias condições e doenças que podem causar a perda irreversível de um órgão, por exemplo, cirrose no fígado, doença crônica dos rins ou lesões da córnea. No Brasil e em todo o mundo, há muitos pacientes que necessitam do transplante de órgãos para sobreviver ou para que lhes seja devolvida a qualidade de vida. A doação de órgãos é, portanto, um ato de solidariedade e humanidade.

Apesar disso, existem ainda poucos doadores. Um dos fatores é a baixa taxa de autorização pela família do doador. Por isso, é importante que os potenciais doadores conversem com seus familiares para deixar claro sua vontade de doar.

Eduardo Peligrineti Targueta
Segundo-Tenente (RM2-Md)
Médico assistente
Policlínica Naval de Niterói