Museu da Imigração da Ilha das Flores recebe a visita de alunos do CIAW

Corpo de alunos do CIAW visita o Museu da Imigração da Ilha das Flores

Por iniciativa do Comandante do Corpo de Alunos do Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), 41 Guardas-Marinhas do Corpo de Fuzileiros Navais, sendo 18 do Quadro de Oficiais Auxiliares e 23 do Quadro Complementar, tiveram a oportunidade de conhecer, no dia 3 de maio, o Centro de Memória da Imigração da Ilha das Flores e o Museu a Céu Aberto, instalações de valor histórico e cultural que retratam a trajetória de imigrantes e migrantes, bem como a vida, os hábitos e costumes de famílias de funcionários que trabalharam nas hospedarias de imigrantes da Ilha das Flores, de 1883 e 1966.

Essa visita foi guiada por monitores da Marinha do Brasil (Tropa de Reforço) e da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), que detalharam para os alunos do CIAW a história da imigração no Brasil, a acolhida que milhares de pessoas oriundas de diversos países tiveram na Ilha das Flores, desde o final da década de 1880 a meados da década de 1960, como parte do processo de formação da sociedade brasileira.

Os visitantes foram apresentados a aspectos políticos, históricos e de saúde pública, aos fatos culturais e a aspectos pitorescos que envolveram a saga histórica dos imigrantes e de migrantes, que conviveram em momentos distintos da história do Brasil com funcionários e seus familiares que moravam na Ilha das Flores. Essa visita ocorre de forma dinâmica pelo fato de os monitores conduzirem os visitantes por cinco totens localizados na área central da Ilha, cada um narrando uma peculiaridade desse processo de acolhida, cuidado e colocação pessoal e funcional dos imigrantes e de seus familiares no mercado de trabalho na cidade do Rio de Janeiro, outrora capital do Império e da República brasileira.

Em julho de 2016, o Centro de Memória da Imigração e o Museu a Céu Aberto passarão a fazer parte de um complexo museológico mais amplo, a partir da inauguração do Museu da Imigração da Ilha das Flores, que desde já é considerada uma instalação turística de interesse do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Vale lembrar que as visitas às instalações históricas e culturais da Ilha das Flores são gratuitas e abertas ao público diariamente, das 9 às 16h, e os monitores da Tropa de Reforço e da UERJ estarão prontos a acolher os visitantes e apresentar todos os aspectos sobre os movimentos migratórios para o Rio de Janeiro, que tiveram como porto de acolhida a aprazível Ilha das Flores.