ICT

Você sabia que a Marinha contribui para a pesquisa em saúde no Brasil?

O Laboratório Farmacêutico da Marinha, com sede na cidade do Rio de Janeiro, foi criado em 14 de novembro de 1906 e promove a pesquisa, o desenvolvimento, a produção, a distribuição e a comercialização de medicamentos e alimentos para a Marinha do Brasil e para órgãos públicos federais, estaduais e municipais. Em 2013, teve reconhecida sua capacitação para o desenvolvimento de pesquisa básica e aplicada, sendo convertido em Instituição  Centífica e Tecnologia – ICT, sendo a primeira entre os laboratórios farmacêuticos das Forças Armadas. Desde então, o LFM vem ampliando sua atuação na pesquisa, desenvolvimento e inovação, com a preocupação de promover o desenvolvimento e a fabricação de produtos estratégicos em território nacional, o que evidencia a importância desta Instituição para a sustentabilidade da saúde do País.

       

   

No combate a Doenças Negligenciadas, o LFM trabalha em dois projetos de pesquisa. Mas o que são essas doenças?

São doenças tropicais endêmicas que acometem especialmente as populações da África, Ásia e América Latina, como a malária, a doença de Chagas e a esquistossomose. Por afetarem principalmente populações de baixa renda, essas enfermidades apresentam investimentos reduzidos em pesquisas, em produção de medicamentos e em seu controle. No entanto, tendo mais de um bilhão de pessoas infectadas, juntas elas são responsáveis por cerca de 500 mil a 1 milhão de óbitos anualmente, constituindo algumas das principais causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo, além de contribuírem para a manutenção do quadro de desigualdade, já que representam forte entrave ao desenvolvimento dos países.

,

O LFM ainda atua na busca de inovações em nutrição e alimentos!

Projeto Quercetina:

Desenvolvimento de Alimento Funcional com Quercetina

O projeto foi criado com o objetivo de desenvolver um alimento funcional de caráter dual enriquecido com quercetina, uma substância de origem natural, para utilização por tropas militares, com o intuito de melhorar a resistência aos exercícios físicos, a imunidade e o foco nas tarefas desempenhadas. A literatura aponta diversas propriedades farmacêuticas para essa substância, especialmente o combate a doenças relacionadas à produção excessiva de radicais livres, como cardiovasculares, diabetes, câncer e nas  insuficiências renal e hepática. O produto a ser obtido representa uma alternativa nutritiva, tendo potencial para ser incluído na alimentação rotineira das tropas militares e ainda de atletas de alto desempenho. 

,

 

O LFM Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo

 As Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) são baseadas na cooperação mediante acordo entre instituições públicas e entre instituições públicas e entidades privadas para desenvolvimento, transferência e absorção de tecnologia, produção, capacitação produtiva e tecnológica do País em produtos estratégicos para atendimento às demandas do SUS, visando, entre outras coisas, ampliar o acesso da população a produtos estratégicos, diminuir a vulnerabilidade do SUS, e reduzir as dependências produtiva e tecnológica para atender às necessidades de saúde da população brasileira.

                                             

Defesa Biológica: Desenvolvimento do Medicamento LFM- Ciprofloxacino 500 mg

O Laboratório atua na defesa contra ameaças biológicas por meio da pesquisa para o desenvolvimento do Ciprofloxacino 500 mg, indicado no combate ao Bacillus anthracis, conhecido popularmente como Antraz. Este medicamento é ainda utilizado no tratamento de infecções urinárias, respiratórias, gastrointestinais e como segunda linha na tuberculose.