Com2ºDN apresenta projeto Vida Saudável para idosos

Image: 

O Núcleo de Assistência Social do Comando do 2º Distrito Naval (NAS/Com2ºDN), em conjunto com o Hospital Naval de Salvador (HNSa) e com apoio das Voluntárias Cisne Branco (VCB-Salvador), realizou um café cultural, no dia 15 de março, no Centro de Convivência dos Idosos, para marcar a abertura dos trabalhos do projeto Vida Saudável e apresentar o cronograma das atividades para este ano. Estão agendadas oficinas de artesanato e de música; ginástica corporal; e terapia comunitária. As ações visam melhorar a capacidade funcional, reduzir problemas psicológicos, como ansiedade e depressão, melhorar a autoestima e a qualidade de vida. O evento contou com a participação de 30 integrantes da Escola de Samba Unidos de Itapoan, criada há 10 anos, inicialmente como projeto social para resgatar crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. A apresentação foi uma iniciativa do Primeiro-Sargento Reformado Antônio Carlos Pedreira, 70, que ingressou na Marinha em 1964. Após a apresentação da escola, Pedreira falou sobre o motivo da oferta. “Eu sou muito grato à Marinha. Quis vir com esse grupo para agradecer ao Hospital Naval de Salvador todo o cuidado e apoio que recebi durante os quase 20 anos de doença de minha esposa, que sempre foi muito bem tratada neste Hospital. Muitas vezes é um trabalho que a gente não vê, principalmente dos profissionais da UTI, mas que é muito sério. Eu cuidei da minha esposa por mais de 18 anos e o Hospital Naval me deu muito apoio e força, sempre que precisei”. Iraci Rios, 76, também demonstrou gratidão pela Marinha. “Desde que fiz a cirurgia, em 2009, assim como durante todo o tratamento posterior, até hoje, não me faltou nada, os funcionários do hospital todos foram sempre bastante solícitos. É muito gratificante conviver nesse ambiente, com profissionais tão dedicados”, pontuou. Valdice Maria do Nascimento, 77, está em tratamento desde 2009. “Agradeço a Deus o que tenho achado aqui no Hospital, o carinho, o cuidado, porque cheguei aqui destruída. E esses encontros como o de hoje são muito importantes porque quando a gente vai ficando mais velho, precisa achar coisas que nos distraiam”, afirmou.