42º Aniversário da Empresa Gerencial de Projetos Navais – EMGEPRON

Há exatos 42 anos, no dia 09 de junho de 1982, era criada a Empresa Gerencial de Projetos Navais – EMGEPRON, com a finalidade de promover a indústria militar naval brasileira e atividades correlatas, abrangendo, inclusive, a pesquisa e o desenvolvimento; gerenciar projetos integrantes de programas aprovados pelo Comando da Marinha; e promover ou executar atividades vinculadas à obtenção e manutenção de material militar naval.

 

A criação da EMGEPRON como uma empresa pública, não dependente do orçamento federal, surgiu como uma engenhosa solução para viabilizar a construção das Corvetas classe “Inhaúma”, assim como para possibilitar a construção, no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ), e exportação do Navio-Patrulha Fluvial “Itaipu” à Armada do Paraguai.

 

Decorridas essas quatro décadas, a EMGEPRON se desenvolveu ampliando seu mercado de atuação, expandindo seus negócios, criando valor e se consolidando como uma Empresa Estratégica de Defesa (EED), importante ator nos mercados de defesa nacional e internacional.

 

Esse contínuo processo de desenvolvimento vem sendo propiciado mediante esforço, dedicação e comprometimento de seus administradores, em conjunto com sua força de trabalho, que, ao longo dos anos, empenharam-se diuturnamente com vistas a promover o crescimento da Empresa, prospectando negócios, angariando clientes, entregando ao mercado um produto/serviço de excelência e, principalmente, atendendo às demandas da Marinha do Brasil.

 

Nesse contexto, estar alinhado às agendas econômica, social e ambiental, além de estar atualizado com os processos tecnológicos de ponta, são condições relevantes para o sucesso da atividade empresarial e requer capacitação e sensibilidade dos gestores, sob pena de não acompanhar a dinâmica do progresso e não estar preparado para as oportunidades que surgem no ambiente empresarial.

 

Tendo isso em mente e com o compromisso de manter a EMGEPRON no caminho de sucesso e progresso trilhado por nossos antecessores, não obstante os desafios decorrentes das características e especificidades do mercado de defesa, somados aqueles decorrentes das conjunturas econômico-financeira, sanitária e geopolítica recentes, passo a tratar dos fatos importantes ocorridos ao longo do 42º aniversário da EMGEPRON.

 

O Programa Fragatas Classe Tamandaré (PFCT), importante Programa Estratégico gerenciado pela EMGEPRON para recomposição do Poder Naval e que prevê a construção de quatro fragatas, alcançou, em 1º de novembro de 2023, mais um marco importante com o início do processamento do aço do segundo navio da classe, a Fragata “Jerônimo de Albuquerque” - F201. No dia 06 de junho de 2024, ocorreu o Batimento de Quilha do navio, tradicional e importante evento no processo de construção, que tem previsão de ser entregue em janeiro de 2027, ao passo que os outros dois navios previstos no contrato, a Fragata “Cunha Moreira” - F202 e a Fragata “Mariz e Barros” - F203, têm previsão de entrega para fevereiro de 2028 e fevereiro de 2029, respectivamente. Também, ainda neste ano, está previsto o lançamento ao mar do primeiro navio da classe, a Fragata “Tamandaré”, no dia 09 de agosto de 2024.

 

Vale ressaltar que o Programa de Compensação (Offset) do PFCT contempla também ações concretas de transferência de tecnologia, que envolve a empresa brasileira Atech, para o desenvolvimento de sistemas digitais integrados para os Sistemas de Gerenciamento de Combate (CMS) e Gerenciamento da Plataforma (IPMS) das fragatas, marcos da retomada do País na caminhada em rumo da autonomia tecnológica em projetos navais complexos. Ambos os sistemas são fundamentais para a operação e valor militar do navio, na medida em que representam a inteligência da embarcação e trazem consigo elevado nível de conteúdo tecnológico que está sendo transferido para a empresa brasileira e a Marinha do Brasil.

 

Referindo-se ao Projeto do Navio Polar “Almirante Saldanha” – H22 (NPo “Almirante Saldanha”), cujo Contrato para Obtenção foi assinado junto à Sociedade de Propósito Específico “POLAR-1”, em 27 de maio de 2022, este alcançou significativo marco, em 17 de outubro de 2023, quando foi realizado o batimento de quilha do navio, tradicional evento no processo de construção naval já acima citado. O sub-bloco escolhido para o batimento de quilha foi o que corresponde à praça de máquinas de vante, onde serão instalados futuramente três grupos motor-gerador e as plantas de ar condicionado, além de outros equipamentos auxiliares.

 

O navio tem a previsão de ser entregue à Marinha do Brasil no primeiro semestre de 2026 e será utilizado na execução de atividades de apoio à pesquisa e de apoio logístico à Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), dentro do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR).

 

Adicionalmente, vale destacar o Projeto do Navio Patrulha de 500 toneladas (NPa-500), o qual vem sendo discutido e desenvolvido com a Marinha do Brasil, a partir da construção por estaleiro nacional, indo ao encontro da visão de expansão e internacionalização da Empresa.

 

O projeto básico do navio foi concluído com toda a documentação técnica atinente à estrutura, automação, controle, estabilidade, planta elétrica, arquitetura, propulsão e comportamento no mar, avaliada e certificada por uma Sociedade Classificadora membro da International Association Classification Society (IACS) e o RINA (Registro Italiano Navale).

 

O novo Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal prevê a construção de 11 navios-patrulha para a Marinha do Brasil no âmbito do Programa de Obtenção de Navios-Patrulha (PRONAPA). O NPa-500 pode ser empregado nas mais variadas missões, com destaque para operações de defesa das plataformas de exploração e explotação de petróleo e gás no mar, patrulha naval, apoio às atividades de salvaguarda da vida humana no mar e apoio às ações de Defesa Civil, apresentando grande potencial para exportação.

 

Assim, como o NPa-500, mencionado acima, também o Projeto USV (Unmanned Surface Vehicle - Veículo de Superfície não tripulado) Suppressor está alinhado à visão de expansão e internacionalização da Empresa, tendo surgido a partir do ambiente do Cluster Tecnológico Naval do Rio de Janeiro (CTN-RJ), o qual possui cerca de 100 empresas associadas, onde a EMGEPRON é uma das empresas fundadoras e a estruturadora de todo o modelo, apoiando suas atividades como forma de criar um ambiente propício à geração de negócios e desenvolvimento socioeconômico do nosso País, indo ao encontro de seu importante eixo estratégico de negócio, a Economia do Mar.

 

O Projeto USV Suppressor é uma parceria com a empresa TideWise que consiste no desenvolvimento e construção de veículos de superfície não tripulados. O projeto USV Suppressor tem por foco principal a aplicação em operações de Defesa e Segurança costeiras e em águas interiores, em conexão com o Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SISGAAZ). Porém, dado seu caráter dual, permite também o amplo emprego em atividades produtivas e de pesquisa no âmbito da Economia do Mar, tendo o potencial de ampliar o horizonte de negócios da Empresa.

 

Ainda no contexto do eixo estratégico de negócio afeto à Economia do Mar, a Empresa colaborou ativamente com os estudos e trabalhos desenvolvidos pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Indústria Naval, haja vista ser este o nosso foco de interesse, e contribuiu promovendo visita dos parlamentares ao tk Estaleiro Brasil Sul, localizado em Itajaí, onde estão sendo construídas as Fragatas Classe Tamandaré (FCT), oportunidade em que os componentes da Frente Parlamentar Mista puderam presenciar o potencial do programa para o fortalecimento do Poder Naval, proteção da Amazônia Azul, desenvolvimento socioeconômico, com geração de emprego e renda para a região, e transferência de tecnologia.

 

A Frente Parlamentar Mista em Defesa da Indústria Naval foi aberta em abril de 2023 e tem a finalidade de estimular, defender e proteger os interesses sociais e econômicos da indústria marítima nacional, nos seus mais variados segmentos.

 

Tendo em vista o eixo estratégico de negócio afeto à plataforma de exportação e com o intuito de promover a internacionalização da Empresa na busca de novos mercados, em setembro de 2023, a EMGEPRON participou da 22ª Defence and Security Equipment International - DSEI 2023, em Londres, a maior feira de Equipamentos de Defesa e Segurança do mundo. O evento contou com a participação de mais de 2.800 fornecedores de defesa e segurança, incluindo os principais fabricantes do setor, recebeu mais de 1.500 expositores e facilitou mais de 1.300 reuniões.

 

A Empresa recebeu em seu stand, entre representantes de empresas e de órgãos governamentais de diversos países, um número considerável de visitas, possibilitando a discussão de parcerias e inúmeras outras possibilidades que estão sendo avaliadas, além de nos permitiu observar o desenvolvimento e o reconhecimento da EMGEPRON como um ator importante nos mercados nacional e internacional.

 

Desde o início da execução dos Programas Estratégicos Fragata Classe Tamandaré e Navio Polar “Almirante Saldanha”, tornou-se imperiosa a necessidade de executar a Primeira Onda de transformação, que consistiu em estruturar a Empresa para gerenciar os programas/projetos estratégicos com a criação do Escritório de Projetos (Project Management Office – PMO), robustecimento do setor de governança, risco e compliance e criação da Assessoria de Finanças Corporativas, além do fortalecimento do Programa de Integridade ocorrido em 2022/2023.

 

Com isso, foi atendido o que as estruturas de controle externo preconizavam, culminando no reconhecimento dos esforços realizados com o recebimento do 4º Prêmio Rede Governança Brasil (RGB) 2023, notadamente a 1ª colocação na categoria de "Estatais, Sociedades de Economia Mista e Paraestatais", recebido 01 de dezembro de 2023.

 

Em agosto de 2023, a EMGEPRON também já havia recebido o “Prêmio TOP 10 Empresas Latino Americanas Provedoras de Soluções de Defesa”, da Revista Internacional “Aerospace and Defense” Edição América Latina, e, mais recentemente, em 23 de maio de 2024, a Empresa foi agraciada com o prêmio “Empresa do Ano”, recebido da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN).

 

O referido título, assim como todas as demais realizações ao longo do ano de 2023, as quais algumas foram aqui descritas, promove mais motivação à toda força de trabalho da Empresa, em face de o reconhecimento de seu êxito frente aos grandes desafios decorrentes de um ambiente volátil, tal como o da defesa, no qual estamos inseridos.

 

As referidas premiações, assim como as realizações da EMGEPRON de hoje, aqui relatadas, e de ontem, ao longo de seus 42 anos de existência, nos remete às competências exigidas e o progresso da Empresa ao longo desse período. É digno de nota exaltar e agradecer a todos aqueles, administradores e colaboradores que, hoje e outrora, fizeram da EMGEPRON a Empresa que conhecemos, respeitada, reconhecida e prestigiada como um importante ator nos cenários doméstico e estrangeiro, privado e público, do mercado de defesa.

 

Hoje, os desafios continuam a nos defrontar e precisam ser superados para alcançarmos os objetivos estratégicos planejados. Assim como no passado, concito a todos a se empenharem para a transposição dos percalços e a manterem o rumo das conquistas. O dinamismo corporativo e os naturais interesses diversos presentes no ambiente de negócios não nos permite esmorecer.

 

Nesse contexto, no momento, após ocorrer a Primeira Onda de transformação, em função das necessidades advindas dos Programas Estratégicos da Marinha e das exigências de governança impostas pela legislação e maturidade administrativa do País está em curso a Segunda Onda de transformação, com o propósito de consolidar o crescimento da Empresa e melhorar seus resultados, de acordo com as Orientações à Diretoria Executiva (ODE) nº 2, considerando o cenário atual e os impactos decorrentes das transformações em curso.

 

Por fim, não obstante os desafios relatados, comuns na gestão corporativa no âmbito da indústria de defesa, também foram enumeradas significativas realizações que contribuem para consolidar a EMGEPRON como um importante participante na Base Industrial de Defesa (BID) do Brasil. Agradeço a todos que, direta ou indiretamente, contribuíram ao longo desses 42 anos para promover o crescimento e o desenvolvimento da Empresa, em especial os colaboradores e a Marinha do Brasil, sem deixar de destacar todos os agentes externos que caminharam conosco nessa jornada.

 

EMGEPRON, TRANSFORMANDO PROJETOS EM REALIDADE.

 

EDESIO TEIXEIRA LIMA JUNIOR

Vice-Almirante (RM1-IM)

Diretor-Presidente

ADRIANO CARDOSO BERNARDO

Capitão-Tenente (AA)

Secretario Executivo do Diretor-Presidente

 

Português, Brasil

Notícias

Em 11 de julho, na Escola Superior de Guerra (ESG), a EMGEPRON, representada pelo seu Diretor-Presidente, Vice-Almirante (RM1-IM) Edesio Teixeira, participou como convidado da solenidade de encerramento da turma de 2024 do Curso de Gestão de Recursos de Defesa (CGERD). 

A EMGEPRON, a Sociedade de Propósito Específico (SPE) Águas Azuis e a thyssenkrupp Estaleiro Brasil Sul (tkEBS) receberam, nos dias 10 e 11 de julho, no estaleiro tkEBS em Itajaí, o Presidente da COTECMAR
A EMGEPRON, a Sociedade de Propósito Específico (SPE) Águas Azuis e a thyssenkrupp Estaleiro Brasil Sul (tkEBS) receberam, nos dias 10 e 11 de julho, no estaleiro tkEBS em Itajaí, o Presidente da COTECMAR, e o Chefe de Material da Armada Nacional da República da Colômbia (ARC), com as respectivas comitivas.
 

Na última segunda-feira (08.07), a EMGEPRON recebeu a delegação da Armada da Colômbia e da estatal naval colombiana COTECMAR na sede da Empresa. A comitiva, composta pelo presidente da COTECMAR, Vice-Almirante Luis Fernando Márquez Velosa e o Diretor de Material da Armada, Contra- Almirante Walter Olmedo Wilches Carvajal, entre outros representantes, foi acompanhada pelo Diretor de Obras Civis da Marinha, Contra-Almirante Pedro Lima Silva Filho.