Economia Azul

O Mar

Pelo mar fomos descobertos e a partir do mar e dos rios consolidamos nossa independência e fixamos as fronteiras ao norte, sul e oeste, o que garantiu a integridade do nosso território, com dimensões continentais. Também pelo mar e pelos rios, ao longo da nossa História, nos defendemos das mais graves agressões à soberania nacional. Assim, entender a importância do mar e dos rios exige a absorção de conhecimentos e percepções que normalmente deixam de estar ao alcance de significativa parte do povo brasileiro. Porém cada vez mais constatamos que é pela via marítima e por hidrovias que trafegam os produtos e serviços vitais para o Brasil.

  • O mar é a principal via de comércio exterior;
  • O mar é fonte de alimento;
  • O mar é fonte de energia; e
  • O mar é fonte de recursos minerais.

Tendo em vista as diretrizes da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM) e estudos geopolíticos voltados para os oceanos, a Marinha do Brasil vem consolidando o conceito político-estratégico Amazônia Azul, que insere em posição decisiva os espaços oceânicos e ribeirinhos sobre os destinos do povo brasileiro e na dinâmica das relações internacionais.

 

Amazônia Azul

O Brasil possui o direito de explorar uma extensa área oceânica, com cerca de 4,5 milhões de km2, o que equivale a, aproximadamente, metade da nossa massa continental.

No mar estão as reservas do pré-sal e dele retiramos cerca de 85% do petróleo, 75% do gás natural e 45% do pescado produzido no País. Por nossas rotas marítimas, escoamos mais de 95% do comércio exterior brasileiro. Nessa área existem recursos naturais e uma rica biodiversidade ainda inexplorados.

Adicionalmente a essa pujança na área econômica e energética, temos a riqueza em biodiversidade. Nosso território no mar é crucial na regulação do clima, absorvendo e paulatinamente liberando imensas quantidades de calor, no processamento de nutrientes, por meio de ciclos naturais, e contempla ampla gama de serviços, reservas minerais e alimentos, que beneficiam grande parcela da nossa população.

Buscando alertar a sociedade sobre a importância estratégica desse imenso espaço marítimo, a Marinha do Brasil passou a denominá-lo Amazônia Azul.

 

Vídeo Institucional da Amazônia Azul

O Simpósio "Amazônia Azul", realizado no dia 12 de novembro de 2018, em Brasília, discutiu a proteção do espaço marítimo do Brasil. O evento visou, entre outros aspectos, despertar a atenção da sociedade brasileira para a importância de conhecer melhor esse espaço marítimo, suas potencialidades, sua biodiversidade e suas vulnerabilidades, de forma que fomentemos a consciência da necessidade de sua proteção como vital patrimônio brasileiro.

O Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior, disse que o Brasil pode liderar a exploração sustentável do Atlântico: “Um patrimônio incalculável e onde a ciência, a tecnologia, o desenvolvimento, a preservação ambiental e a defesa são preponderantes e são importantes nesse conjunto de variáveis, que, se nós soubermos, com diálogo produtivo, observando as diferenças, nós temos certeza que o futuro do Brasil será ainda mais próspero e mais seguro sobre qualquer ponto de vista”.

Matéria sobre a Amazônia Azul, veiculada no Jornal Nacional, da TV Globo, em 12 de novembro de 2018: clique aqui

 

Economia Azul

Os oceanos abrigam 80% da vida do planeta; viabilizam 90% do transporte internacional; garantem trabalho direto para 1 bilhão de pessoas; respondem por 50% do oxigêncio que respiramos; e absorvem 0% do aquecimento global contido pela atmosfera.

O mar sustenta a vida do planeta, porém, muitas atividades econômicas tradicionais se basearam em relações negativas com os oceanos.

 

A Economia Azul desponta como a nova fronteira da economia mundial. Ela se baseia no uso sustentável dos oceanos e seus recursos, voltado ao crescimento econômico, à segurança alimentar, à geração de empregos e na preservação do meio ambiente marinho.
 

Dentre os objetivos do desenvolvimento sustentável, destaca-se conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos.

Novas tecnologias abrem novos horizontes:

  • Inteligência artificial, sensores, robótica, novos materiais, big data, processamento de imagem e algoritmos avançados transformam a bioprospecção, uso e mapeamento do mar;
  • Tecnologia atual diminui custos, aumenta a precisão e permite a exploração do mar com mais segurança; e
  • Novo ciclo tecnológico empurra a pesquisa científica e empresarial para a diversificação de suas fontes e áreas de atuação.

Perspectivas de mercado: