NOTÍCIAS

500 Anos da primeira volta ao mundo é tema
de seminário internacional organizado pela DPHDM


Em 13 de dezembro de 1519, a Baía de Guanabara tornou-se o primeiro porto visitado nas Américas pela expedição naval de Fernão de Magalhães/Juan Sebastián de Elcano. Seus tripulantes, contudo, mal poderiam imaginar que a busca por uma nova “rota das especiarias”, navegando do Ocidente para o Oriente, singraria definitivamente a história, tornando-se a primeira volta ao mundo. A fim de celebrar os 500 da passagem da frota pelo Rio de Janeiro (RJ), a Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM), o Museu Histórico Nacional (MHN), as Embaixadas de Espanha e Portugal no Brasil e seus consulados no RJ, e os Institutos Cervantes e Camões realizaram, nos dias 12 e 13 de dezembro de 2019, o seminário internacional “5º Centenário da primeira volta ao mundo: A estadia da frota no Rio de Janeiro”.


Professor doutor Arno Wehling, do Brasil, abriu a série de conferências
sobre a primeira viagem de circum-navegação, no auditório do MHN


Ocorrido no auditório do MHN, o evento reuniu 11 renomados historiadores do Brasil, Argentina, Chile, Espanha, Peru, Portugal e Uruguai para discorrer sobre seus estudos e pesquisas acerca da expedição, bem como debater as implicações desta odisseia no contexto da expansão ultramarina, dos séculos XV e XVI, como célula primeira do processo de globalização, integrando povos, culturas e mercados. Permitindo ao público conhecer a contribuição iberoamericana dos países visitados pela frota, o seminário evidenciou como a nova perspectiva de mundo, advinda desta primeira viagem de circum-navegação, apresentou um mundo novo para as gerações futuras.

Dentre as seis apresentações do primeiro dia, o professor doutor Arno Wehling, historiador brasileiro, membro da Academia Brasileira de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, abordou os desafios jurídicos da modernidade à época da expedição de Magalhães/Elcano; e a professora doutora Margarita Suárez Espinosa, peruana, da Pontifícia Universidade Católica do Peru, discorreu sobre o tema “Lima, Cacultá e as quatro partes do mundo: o impacto da Viagem de Magalhães/Elcano nos séculos XVI e XVII”.

No segundo dia do evento, o público assistiu mais cinco conferências, dentre as quais: a do professor doutor José Manuel Garcia, português, do Gabinete de Estudos Olisiponenses, um dos maiores especialistas do tema central do seminário, lançando luz sobre “a América do Sul na problemática da primeira volta ao mundo”; e a do Capitão de Mar e Guerra José María Blanco Nuñez, da Armada da Espanha, membro do Comitê Espanhol de Ciências Históricas, apresentando e analisando dados logísticos da viagem de circum-navegação, em especial o percurso “Do Cabo de Santo Agostinho ao Rio de Solis”, atual Rio da Prata.


Especialista dessa ousada expedição, o professor doutor José Manuel Garcia,
de Portugal, apresenta mapa-múndi que norteou a frota de Magalhães/Elcano


Prestigiaram o seminário os Embaixadores da Espanha e de Portugal no Brasil, respectivamente, Fernando García Casas e Jorge Dias Cabral; o Chefe do Estado-Maior da Armada da Marinha do Brasil, Almirante de Esquadra Celso Luiz Nazareth; o Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada da Espanha, Almirante de Esquadra Carlos Martínez-Merello Díaz de Miranda; o Almirante de Esquadra (Refº) Marcos Augusto Leal de Azevedo, um dos conferencistas; o Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada de Portugal, Vice-Almirante Jorge Manuel Novo Palma; e o Secretário da Comissão do Ministério da Defesa do Governo Espanhol para o 5º Centenário da Primeira Volta ao Mundo, Vice-Almirante Ignacio Horcada Rubio; entre outras autoridades, militares e civis.