Navio-Museu Bauru

Cultura e Lazer

O Navio Museu Bauru é um dos equipamentos culturais do Espaço Cultural da Marinha. Lá você terá como atração, além do Bauru, o Submarino Museu Riachuelo, o Helicóptero Museu Sea King, a Nau dos Descobrimentos, o Carro de Combate Cascavel, o passeio pela Baía de Guanabara e visita à Ilha Fiscal. Há loja de souvenirs e uma lanchonete. Consulte o funcionamento e valores dos ingressos no menu "Espaço Cultural da Marinha".

Endereço:
Boulevard Olímpico, Praça XV, Rio de Janeiro, RJ.

INFORMAÇÕES:
Mais informações consulte no menu principal "Espaço Cultural da Marinha" ou pelos contatos Tel. (21) 2532-5992 / (21) 2233-9165 - E-mail:faleconosco@dphdm.mar.mil.br

HISTÓRICO:
Construído nos EUA, o Contratorpedeiro de Escolta USS McAnn ("DE179") foi incorporado à US Navy em 11 de outubro de 1943. Descomissionado em 15 de agosto de 1944, foi transferido para a Marinha do Brasil, sendo rebatizado como Bauru ("Be4"), em alusão ao rio que dá nome à cidade do interior paulista.

Foi o quarto navio de uma série de oito transferidos pelos EUA para o Brasil no esforço de guerra (Bertioga, Beberibe, Bracuí, Bauru, Baependi, Benevente, Babitonga e Bocaina), constituindo a classe Bertioga. Pelos novos equipamentos, táticas e conceitos de guerra antissubmarina que introduziram à época na MB, tais contratorpedeiros vieram a se tornar durante anos a espinha dorsal da nossa Esquadra.

Sua tripulação era composta por 226 militares.

Destacam-se, entre suas missões, as operações de caça antissubmarino, escolta a comboios e apoio ao serviço aéreo de evacuação das tropas aliadas vindas da Europa, durante a Segunda Guerra Mundial. Após o fim do conflito, a Força Naval do Nordeste foi dissolvida e o Bauru foi incorporado à Segunda Flotilha de Contratorpedeiros — anos mais tarde, o Segundo Esquadrão de Contratorpedeiros. Em 5 de junho de 1964, foi reclassificado e transferido para o Esquadrão de Avisos Oceânicos, ostentando o indicativo visual "U-28".

Ao longo dos seus 37 anos, 6 meses e 16 dias no Serviço Ativo da Marinha, percorreu 295.428,9 milhas náuticas, totalizando 1.423 dias de mar. Diferentemente dos demais navios da classe Bertioga, desmanchados após suas baixas, o Bauru teve um novo e nobre destino: tornar-se o primeiro navio-museu da MB.

Após uma minuciosa reforma, realizada para lhe devolver seu aspecto durante a Segunda Guerra Mundial, o Navio-Museu Bauru foi inaugurado em 21 de julho de 1982, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro. Em 20 de janeiro de 1996, foi inaugurado o Espaço Cultural da Marinha, seu porto-sede até os dias de hoje.

Após sua Mostra de Desativação como Organização Militar, em 20 de outubro de 1998, passou a constituir uma divisão integrada à estrutura orgânica do Serviço de Documentação da Marinha (SDM), que, uma década depois, tornou-se a Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM).