Aeronave Skyhawk




HISTÓRICO

Em 5 de setembro de 1998 chegou ao Porto do Forno, no município de Arraial do Cabo-RJ, o Navio Mercante de bandeira liberiana Clipper Ipanema trazendo a bordo 23 aeronaves A-4 Skyhawk de fabricação norte-americana, adquiridas pela Marinha do Brasil junto ao governo do Kuwait.

As 23 aeronaves Skyhawk receberam no Brasil a denominação de AF-1 (para a versão com um assento – monoplace) e AF-1A (para a versão de treinamento com dois assentos – biplace), vindo a compor o 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque, cuja cerimônia de ativação se deu em 02 de outubro de 1998 na Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia. Dentre as atribuições das aeronaves destacavam-se o seu emprego na defesa aérea de forças navais, e, para tal, foram embarcadas no Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais, e, posteriormente, no Navio-Aeródromo São Paulo.

Na época de sua aquisição pela Marinha do Brasil, o Skyhawk era um dos caças aeronavais de maior sucesso no mundo, tendo sido utilizados na Primeira Guerra do Golfo e constituindo equipamento de primeira linha de diversos países, como Argentina, Cingapura e Nova Zelândia, sendo também empregado de maneira restrita pelos Estados Unidos. Durante 27 anos, várias de suas versões foram produzidas e somente em 1994 foi retirado de uso nas unidades de elite da Marinha dos Estados Unidos. Os Skyhawks adquiridos para a Aviação Naval brasileira tinham reduzido número de horas de voo (em média de 1.700 horas).

Características principais quando de sua aquisição

  • Fabricante - McDonell Douglas, Estados Unidos da América, 1979.
  • Emprego - Ataque (A) e Interceptação (F).
  • Dimensões – Envergadura: 8,38m; Comprimento: 12,59m (AF-1), 13,29m (AF-1A); Altura: 4,57m (AF-1), 4,75m (AF-1A).
  • Pesos – Básico Operacional: 5.800kg (AF-1), 6.100kg (AF-1A). Máximo de decolagem: 11.600kg.
  • Velocidade máxima – cerca de 594 nós (1.100 km/h ou 0,9 Mach).
  • Teto – 46.000 pés (14.000 metros).
  • Propulsão – Turbinas Pratt& Whitney J52-P-8B.
  • Armamento interno – 2 canhões Mk. 12 de 20mm.
  • Armamento externo – cinco “pontos duros”, sendo um ventral com capacidade para 1.588kg, dois subalares internos para 2.250 libras (1.021kg) e dois subalares externos para 454kg para bombas e mísseis AIM-9 Sidewinder.
  • Alcance de translado – 2.000 milhas (3.219km).

Equipamentos instalados nas aeronaves recebidas pela Marinha do Brasil

  • Head Up Display (HUD).
  • Câmera fotográfica de reconhecimento.
  • Lança-foguetes de 124mm.
  • Lançador de chaff AN/ALE-29-a.
  • Weapons Delivery andNavigation System (WDNS).
  • Míssil ar-ar: AIM-9H Sidewinder.
  • Radar-altímetro AN/APN-194 (V).
  • Agulha giroscópica AN/ASN-89 (V).
  • Computador de voo AXC-666A-103.
  • UHF: AM20B.
  • UHF/ADF AN/ARC-159.
  • Telebriefing.
  • TACAN AN/ARN-84 (V).
  • VOR/ILS Marker Beacon.
  • ADF AN/ARA-50.
  • Radar IFF AN/ARX-72 (V).
  • Radar AN/ARQ-145B (V) 1.
  • Gancho de pouso.
  • Assento ejetávelEscapac IG-3 (zero-zero).
  • Paraquedas de frenagem.
  • Probe para reabastecimento em voo (REVO).
  • Speedbrake.