79º Aniversário da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha

Rio de Janeiro, RJ, 8 de Junho de 2022.

ORDEM DO DIA N° 1/2022

Assunto: 79º Aniversário da
Diretoria do Patrimônio Histórico
e Documentação da Marinha


Comemoramos hoje o septuagésimo nono aniversário da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM), orgulhosos por singrar os mares da cultura marítima e naval, perpetuando a história como porto seguro das tradições e dos valores difundidos na Marinha do Brasil. Tendo a interdisciplinaridade como norte de nossa navegação, o corpo técnico-profissional desta Diretoria atua com entusiasmo para preservar a memória institucional da Força e, portanto, do próprio País.

Com origem no Serviço de Documentação da Marinha, criado em 8 de junho de 1943, a DPHDM assessora consulentes, subsidia pesquisas e fornece informações relevantes de caráter histórico-cultural em Arqueologia, Arquivologia, Biblioteconomia, História e Museologia. Distinguindo-se das demais Organizações Militares por ter um vínculo estreito com os mais variados públicos — militares, civis, acadêmicos, estudantes, famílias, gente de todas as idades —, esta Diretoria fomenta o desenvolvimento da mentalidade marítima na sociedade por meio de seu vasto calendário cultural, com opções de entretenimento cultural que divertem na mesma medida que incentivam o debate, a reflexão e a visibilidade dos acervos da Marinha sob nossa tutela.

2021 marcou a retomada de público, ainda que gradual, em nossas atrações, contabilizando em torno de 70 mil visitantes ao Complexo Cultural da Marinha, composto por Museu Naval, Biblioteca da Marinha, Arquivo da Marinha, Ilha Fiscal e Espaço Cultural da Marinha, com seus meios navais musealizados. Além disso, incrementamos nossas plataformas virtuais e alcançamos a expressiva marca de mais de 820 mil acessos. Deste total, ressaltamos mais de 100 mil acessos ao Sistema de Descrição e Difusão da Informação Arquivística (plataforma AtoM), administrada pelo Arquivo da Marinha, que celebra seus 115 anos em 2022 participando da 6ª Semana Nacional de Arquivos.

Em agosto do ano anterior, a Biblioteca Volante reiniciou suas atividades, em novo micro-ônibus, com infraestrutura condizente com os tempos atuais e a longevidade deste serviço de extensão da Biblioteca da Marinha, que completa 49 anos em 2022. Presente em 37 Organizações Militares da Marinha situadas na cidade do Rio de Janeiro e arredores, a Volante realizou, até maio deste ano, mais de 600 empréstimos de livros, atendendo a cerca de 1.200 consultas. Outrossim, as “caixas culturais” da Biblioteca Rotativa disponibilizaram, no mesmo período, 1.820 livros para navios da Marinha em comissão, como a Fragata União.

Tomamos parte de 15 encontros de natureza acadêmica, nas áreas de história e arqueologia, dentre os quais sublinhamos: em setembro de 2021, o Seminário “Aspectos Geopolíticos da expansão marítima portuguesa e o Poder Naval na formação e defesa do território que constituiu a Nação”, realizado pela DPHDM em concurso com o Centro de Estudos Político-Estratégicos da Marinha (CEPE-MB) e a Escola de Guerra Naval (EGN); e, em novembro, o Webinar “Poder Naval na Defesa do Território que Constituiu a Nação”, promovido por esta Diretoria, a Associação Abrigo do Marinheiro (AMN) e o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB). Tais eventos deram início, no âmbito da Marinha do Brasil, às celebrações pelo Bicentenário da Independência e da vitoriosa Esquadra brasileira.

Ainda em novembro, inauguramos, no Museu Naval, a exposição temporária “O Atlântico Sul na construção do Brasil Independente”, que encerra sua temporada de exibição em 9 de junho, tendo atraído cerca de 8 mil pessoas. Integrando também a programação oficial da MB pelos 200 anos da Independência do Brasil, a exposição lançou luz sobre o processo de independência e a construção de uma identidade marítima a partir de cartas náuticas dos séculos XVII e XVIII, que compõem o valioso acervo de Obras Raras da Biblioteca da Marinha.

Também no penúltimo mês de 2021, o “Projeto Escola”, iniciativa mais longeva da DPHDM voltada ao público externo, com 24 anos de existência e mais de 70 mil estudantes da rede pública de ensino já atendidos, ganhou a internet. Nesta nova fase na web, agora com sítio eletrônico próprio, o “Projeto Escola” está acessível a alunos de todo o Brasil e disponibiliza, em ambiente virtual, uma visita em 360º para conhecer o Museu Naval e sua exposição “O Poder Naval na formação do Brasil”; a Ilha Fiscal e suas exposições “Amazônia Azul” e “Ilha Fiscal, um neogótico em terras tropicais”; e o Espaço Cultural da Marinha.

Concluímos a Fase 1 do Projeto “Museu Marítimo do Brasil”, empreitada da DPHDM com o Departamento Cultural do Abrigo do Marinheiro (DCAMN). Entre junho e julho de 2021, realizamos o Concurso de Estudos Preliminares de Arquitetura para o futuro museu, que premiou a proposta do arquiteto Rodrigo Messina e sua equipe. Meses depois, realizamos dois eventos de foco acadêmico, promovendo um prolífico debate sobre o papel dos museus marítimos e a importância da consciência marítima na sociedade: em novembro, o Seminário Internacional “Museus Marítimos: Rotas Contemporâneas”; e, em dezembro, o Ciclo de Palestras “Museu Marítimo do Brasil: um novo cenário cultural”.

Na sequência, em janeiro de 2022, elegemos, por meio de concurso, a marca do vindouro museu, concebida pela Danowski Design, sintetizando com clareza vários elementos fundamentais do universo conceitual e simbólico que o Museu Marítimo do Brasil abrangerá. E, desde então, envidamos esforços na captação de recursos, via programa de mecenato “Patronos da Cultura Naval” (uma parceria DPHDM e DCAMN), para viabilizar a execução da Fase 2, cujo cerne é a elaboração dos Projetos Executivos de Arquitetura e de Engenharia Complementares.

Nosso compromisso com a difusão da cultura e o incentivo à leitura redundou, em dezembro de 2021, com a criação do Conselho Editorial da Editora Letras Marítimas, passo importante para incrementar a produção de livros na Marinha do Brasil. E, em paralelo, seguimos firmes na preparação de obras de qualidade, para agradar em cheio o público-leitor. No último ano, lançamos, entre outros títulos, 5º Centenário da primeira volta ao mundo: A estadia da frota no Rio de Janeiro, livro homônimo do seminário internacional realizado, em 2019; e os e-books de Marinha do Brasil: uma síntese histórica, que se debruça sobre a história de nossa Força, e A Terra é azul e redonda, do Capitão de Mar e Guerra William Carmo Cesar.

Destacamos as manutenções que vêm sendo executadas em nossas atrações, graças a recursos oriundos de emendas parlamentares: a realização de reparos e de pinturas das fachadas do Museu Naval, que começamos em novembro de 2021, com término previsto para o final de julho deste ano; a revitalização estrutural, acima da linha d’água, da Escuna Nogueira da Gama, bem como a manutenção de seus motores, iniciadas em dezembro do ano passado, devendo ser finalizadas na segunda quinzena deste mês de junho; e o projeto “Uma Joia na Baía”, para a recuperação estrutural, conservação e restauração do conjunto arquitetônico da Ilha Fiscal, iniciado em fevereiro de 2022 e com previsão de conclusão em dezembro.

Cabe ainda registrar, após quase nove anos, a recente docagem, em 31 de maio deste ano, do Submarino-Museu Riachuelo, atração do Espaço Cultural da Marinha desde 1997, que, ao longo de 20 anos de operações na ativa, somou mais de 180 mil milhas navegadas, em torno de 1.285 dias de mar e cerca de 17.700 horas de imersão. Prevista até setembro, a docagem visa à realização de reparos em suas Obras Vivas, garantindo sua flutuabilidade e, por conseguinte, a segurança de nossos visitantes, além de renovar a pintura da vela, superestrutura e casco do submarino.

Em suma, os resultados alcançados atestam toda a dedicação, profissionalismo e esmero técnico empregados por nossos militares, servidores civis e colaboradores, a quem agradeço pelo comprometimento e elevada performance na consecução das tarefas. Cumprir nossa missão significa bem servir à Marinha do Brasil, à sociedade e ao País!

Aproximando-nos de oito décadas de trabalho em favor da cultura, celebramos mais este aniversário rendendo devidas homenagens àqueles que preencheram as páginas desta história: dos Chefes Navais do passado, que conduziram o leme desta nau capitânia do conhecimento, às suas tripulações, aguerridas. Seu “patrimônio histórico” de realizações são faróis que norteiam nossa singradura.

Vida longa à Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha!

“DPHDM: Preservar a memória para construir a história.”

JOSÉ CARLOS MATHIAS
Vice-Almirante (RM1)
Diretor