Navio de Pesquisa Hidroceanográfico "Vital de Oliveira" supera a marca de 750 dias de mar

Notícias
terça-feira, 10 Março, 2020

NPqHo “Vital de Oliveira” durante coleta de amostras de água, solo e subsolo marinho

         
O Navio de Pesquisa Hidroceanográfico (NPqHo) "Vital de Oliveira" atingiu a marca de 750 dias de mar, em 10 de março, antes mesmo de completar cinco anos de incorporação à Armada Brasileira.
 
Construído no Estaleiro Hangtong, em Xinhui, na República Popular da China, o navio foi concebido a partir do pioneiro Acordo de Cooperação firmado entre a Marinha do Brasil, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) e a Vale S.A. para emprego no monitoramento e na caracterização física, química, biológica, geológica e ambiental de áreas oceânicas estratégicas, voltadas à exploração de recursos naturais, com enfoque em recursos minerais, óleo e gás, ampliando a presença brasileira no Atlântico Sul e Equatorial.
 
Desde sua incorporação à Armada, em 24 de março de 2015, o navio conduz estudos que contribuem enormemente para o desenvolvimento das ciências do mar no Brasil, participando ativamente do Plano de Levantamento da Plataforma Continental Brasileira, por meio de comissões científicas na Elevação do Rio Grande, realizando o embarque de projetos de pesquisa nas áreas de meteorologia, biologia, oceanografia física e química de interesse do MCTIC, dentre eles, o Prediction and Research Moored Array in the Tropical Atlantic (PIRATA). Essas comissões também vêm protagonizando estudos e ações de redução de impactos ambientais, como as provocadas pelo rompimento da barragem de rejeitos de minério, em Mariana-MG, junto à foz do Rio Doce e durante a Comissão de Levantamento Ambiental da Costa Nordeste, ocasião em que foram realizadas coletas de amostras de água, solo e subsolo marinhos de áreas onde manchas e fragmentos de óleo foram encontrados.