NHi Sírius

Explicação da Heráldica:

Sirius : O cão de Orion, caçador grego, transformado por Diana na estrela mais brilhante do Firmamento.

Descrição da Heráldica:

Distintivo do NHi “Sirius”: Num pentágono formado de cabos de ouro e encimado pela coroa naval, em campo azul, um lebreu de ouro, corrente e coleirado de vermelho e prata e em chefe, uma estrela de prata de oito raios.

O NHi “Sirius” está subordinado ao Grupamento de Navios Hidroceanográficos (GNHo), localizado na cidade de Niterói, Estado do Rio de Janeiro. O GNHo está subordinado à DHN, cujo propósito é apoiar a aplicação do Poder Naval, contribuir para a segurança da navegação na área marítima de interesse do Brasil e nas vias navegáveis interiores e, ainda, contribuir com projetos nacionais de pesquisa realizados em águas jurisdicionais brasileiras, resultantes de compromissos internacionais.
As pesquisas hidrográficas e oceanográficas representam o principal emprego do Navio, sendo utilizado primordialmente como plataforma de coleta de dados batimétricos, geodésicos, oceanográficos e geofísicos.
O “Sirius” tem ainda como missão processar os dados coletados, a fim de contribuir para a produção de informações para a construção e atualização das cartas náuticas e documentos de auxílio à navegação sob a responsabilidade da DHN e para o conhecimento do cenário de fatores físicos das áreas de operações das forças navais.
O Navio, além das tarefas previstas em sua missão, contribui para a formação de universitários das áreas de biologia marinha e oceanografia. Contribui também para os serviços meteorológico marinho e de sinalização náutica, a cargo da DHN.
O Navio utiliza um sistema computadorizado de aquisição e processamento de dados batimétricos, onde os sistemas de posicionamento, de governo do Navio e de batimetria, são acoplados a um computador capaz de armazenar todas as informações para a elaboração da Folha de Bordo.
Para auxiliar na coleta de dados batimétricos, o Navio conta também com duas lanchas hidrográficas e embarcações de apoio.
Em 2009, foi instalado no Navio um ecobatímetro multifeixe (multibeam), possibilitando a realização de levantamentos batimétricos em águas profundas, com ensonificação total do fundo

 

Com respeito à  Oceanografia, o Navio tem a capacidade de operar CTD, XBT e Digibar, utilizados para coletar informações de salinidade e temperatura da água do mar, permitindo o cálculo da velocidade de propagaçãoo do som na água. O Navio possui dois guinchos que podem ser empregados para Oceanografia e para coleta de amostras de fundo por arrasto. Possui, também, a capacidade de operar com sonar de varredura lateral (side scan sonar), que provê informações sobre a topografia do fundo e suas características geológicas superficiais.
 
 
Histórico: 
 

O NHSirius é o primeiro navio da Marinha do Brasil especialmente projetado e construído para o serviço de hidrografia. É, também, o primeiro de nossa Marinha a ser dotado de aeronave  e o primeiro com este nome, Sirius, a alfa da constelação do Cão Maior - a estrela mais brilhante do céu.

Construído nos estaleiros da Ishikawawajima Heavy Industries Co Ltda, de Tóquio, Japão, o nosso Navio teve a quilha batida no dia 13 de dezembro de 1956, foi lançado ao mar no dia 30 de Julho de 1957, recebido no dia 17 de Janeiro de 1958 e passado por mostra de armamento na mesma data.

No dia 08 de fevereiro de 1958 seguiu para Kobe, Japão, de onde iniciou sua viagem para o Brasil, em 15 de fevereiro do mesmo ano. Chegou ao Rio de Janeiro no dia 19 de maio de 1958, tendo visitado os portos de Honolulu, São Francisco, Acapulco, Balboa, Curação, Belém, Recife e Arraial do Cabo.

Nomes muito importantes da Marinha do Brasil já integraram a tripulação de nosso Navio, entre eles o então Ministro da Marinha na década de 80, Almirante - de- Esquadra Maximiano da Fonseca, primeiro imediato do Sirius, por ocasião de seu recebimento e posteriormente comandante do Navio, no final da década de 50, e o Almirante - de - Esquadra Júlio de Sá Bierrenbach, importante personalidade da política nacional entre as décadas de 50 e 80, sendo Presidente do Superior Tribunal Militar também na década de 80.

Entre as efemérides de nosso Navio, cabe registrar a realização do primeiro pouso a bordo de uma aeronave de asa rotativa em um convôo de um navio da Marinha do Brasil. Esse feito ocorreu ainda na cidade de Kobe no Japão, por ocasião do recebimento, no ano de 1957.

Logo após a chegada do Sirius ao Rio de Janeiro, o Presidente da República na época, Sr Juscelino Kubitschek de Oliveira veio pessoalmente visitar o Navio. O presidente Juscelino foi um dos grandes idealizadores da compra do Sirius. Ao final da visita, o presidente JK faz um "pedido" especial e surpresa para o Ministro da Marinha da época, o Almirante - de - Esquadra Campos Câmara, deixar o Sirius em um dos helicópeteros orgênicos do Navio, que era uma grande novidade da época. Tudo foi providenciado e JK deixa o Sirius voando, uma curiosidade da história do navio, mas que passou a figurar como um pitoresco caso da Aviação Naval brasileira, lembrada até os dias de hoje.

No período de 16-06-1982 a 30-10-1986, o Sirius passou por um período de modernização que possibilitou a futura otimização de sua capacidade operacional na atividade de hidrografia. O sucesso e o investimento desta modernização possibilitaram ao Navio operar satisfatoriamente em levantamentos hidrográficos, até os dias de hoje.

O navio totaliza mais de 100 levantamentos hidrográficos concluídos, em mais de 4000 dias de mar realizados. É sem dúvida um dos navios de nossa Marinha que mais benefícios trouxe para nosso País, devido ao longo tempo de serviço e a eficiência, que foi um fator sempre marcante nas comissões realizadas.

 

Nomes dos Comandantes:

CF HELIO RAMOS DE AZEVEDO LEITE

CF MAXIMIANO EDUARDO DA SILVA FONSECA

CF LUIZ VALVANO AURICCHIO

CF JOSE FERREIRA GUARITA

CF JULIO DE SÁ BIERRENBACH

CC LUIZ CARLOS DE FREITAS

CF ALMIR DA COSTA RUBIM

CF JOSÉ LISBOA FREIRE

CF PAULO PEDRO PROGANA

CF CARLOS ALBERTO FERREIRA GOMES

CF MAURICE LÚCIO TARRISSE DA FONTOURA

CF LUIZ CARLOS DE FREITAS

CF DIMAS LOPES DA SILVA COELHO

CF FRANCISCO ANTONIO REIS

CF ALFREEDO DOMINGOS MEIRELLES QUINTELA

CF SÉRGIO AUGUSTO SOARES VILLAR

CF OSWALDO LAIDLER

CF HOSANNAH LACERDA MOTA

CF MAURICIO REIS

CF FERNANDO COELHO BRUZZIi

CF ROBERTO GIL SILVA CERQUEIRA

CC ANTÔNIO CÉSAR MARTINS SEPULVEDA

CF MAURO SEBASTIÃO MOREIRA XAVIER

CF FERNANDO SÉRGIO NOGUEIRA DE ARAÚJO

CF ANTÔNIO CARLOS MONTEIRO

CF ANTÔNIO CESAR MARTINS SEPULVEDA

CF EDISON LAWRENCE MARIATH DANTAS

CF ANTÔNIO CARLOS FONTELES JUAÇABA

CF CARLOS EDUARDO DA ROCHA SUZARTE

CF LUIZ ANTÔNIO TORRES DOS SANTOS

CF CARLOS AUGUSTO MEDEIROS DE ALBUQUERQUE

CF LUIZ GONZAGA CAMPOS

CMG HERALDO SOARES CALDEIRA

CF ALBERTO PEDRASSANI COSTA NEVES

CMG ROBERTO PACHECO LEANDRO

CF CARLOS AUGUSTO CHAVES LEAL SILVA

CF CARLOS ALEXANDRE BASILIO XAVIER DE SOUZA

CF PLINIO BRAYNER NETO (Interino)

CF MARCELO APPOLINARIO CERQUEIRA

CC WALID MAIA PINTO SILVA E SEBA

CF MARCELO APPOLINARIO CERQUEIRA

CF ALEX PINTO BABINSCK

CF PASCHOAL MAURO BRAGA MELLO FILHO

CF WALID MAIA PINTO SILVA E SEBA

CF DANTE JOSÉ DE ANDRADE ALEXANDRE (ATUAL)