Brasil é eleito para Vice-Presidência do Grupo para a América Latina e Caribe da Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO

Notícias
Wednesday, 3 July, 2019
Representantes dos Países reunidos na 30ª Assembleia da COI
 
Por ocasião da 30ª Assembleia da Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), ocorrida em 3 de julho, em Paris, na França, o assessor da Diretoria de Hidrografia e Navegação Capitão de Mar e Guerra Frederico Antonio Saraiva Nogueira foi eleito, por aclamação, para o cargo de Vice-Presidente da Comissão para a América Latina e Caribe (Grupo III). O mandato terá a duração de dois anos, prorrogáveis por mais dois, e teve início imediatamente após o encerramento da assembleia.
A COI é uma comissão da Unesco, criada por ocasião da XI Assembleia Geral, realizada em 1961, com base no reconhecimento de que: “os oceanos cobrem cerca de 70% da superfície da terra, exercem uma profunda influência no ser humano e em todas as formas de vida da Terra...”. Tem como missão fomentar a investigação científica marinha nos oceanos, por meio de ações coordenadas e integradas de coleta de dados, produção de informações, intercâmbio de dados e transferência de tecnologia.
O Grupo III da COI é integrado pelos seguintes países: Argentina, Bahamas, Barbados, Belize, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Dominica, Equador, El Salvador, Granada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Peru, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela.
 
A Marinha do Brasil, por meio da DHN, é a instituição nacional responsável por promover e coordenar a participação do País nas atividades da COI relacionadas com os programas de serviços oceânicos, bem como servir de banco nacional de dados oceanográficos e centro depositário da COI, integrando, assim, o Sistema Mundial de Dados Oceanográficos.
A eleição do Capitão de Mar e Guerra Frederico ilustra o prestígio da DHN junto à comunidade oceanográfica internacional.