Marinha do Brasil participa de debate sobre inovação e desenvolvimento tecnológico na FIESP

Abertura do Seminário de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

 

A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, participou do Seminário de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, realizado no dia 31 de agosto, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

A cerimônia foi aberta pelo presidente da FIESP, Josué Gomes da Silva, que explicou que o seminário tem como proposta debater política e oportunidades de melhorias nos instrumentos de apoio, de maneira a ampliar os investimentos em inovação e tecnologia, além de elevar a produtividade e a competitividade da indústria de transformação brasileira em uma retomada da política de inovação. Ainda durante sua fala mencionou o uso da energia nuclear, desenvolvida pela MB, no campo da ciência, tecnologia e inovação para fins pacíficos.

Fiquei verdadeiramente impressionado quando visitei o Centro Industrial Nuclear de Aramar, em Iperó-SP, e vi a capacidade e a competência do profissional brasileiro. Militares da Marinha e civis desenvolvendo uma tecnologia que nenhum País vende ou oferece, que o Brasil foi capaz de desenvolver. Hoje construímos centrífugas de enriquecimento de urânio de altíssima qualidade”, enfatizou o presidente da FIESP.

Já o Vice-Presidente e Ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, aproveitou o evento para anunciar uma nova linha de crédito para financiamento da inovação do setor industrial brasileiro.

A Ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos,destacou a importância do Fundo Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) como instrumento de apoio. “Vamos apoiar projetos de alto risco tecnológico, por meio de subvenção econômica em valores nunca antes operados e fortalecer a tão necessária integração das empresas com as Instituições da ciência, tecnologia e inovação”.

Durante o evento, os representantes do governo lançaram o Programa ‘’Mais Inovação Brasil’’ - uma parceria entre o BNDES e o MCTI - visando projetos de Inovação. Foram detalhadas as diretrizes da política de inovação e desenvolvimento tecnológico e o foco dos investimentos de R$ 60 bilhões a serem disponibilizados pelo BNDES e FINEP, especificamente para projetos de inovação voltados ao setor produtivo.

O Diretor de Planejamento e Estruturação de Projetos do BNDES, Nelson Barbosa, exaltou ainda que “a Indústria de Defesa e as Forças Armadas são cruciais em Programas de Inovação. No mundo inteiro, elas geram inovações que muitas das vezes se tornam produtos de mercado. Assim é muito importante participação dessas Instituições na Política de Inovação. Defesa e desenvolvimento caminham juntos quando os investimentos na capacitação das Forças Armadas criam oportunidades que favoreçam a inovação e o crescimento econômico”.

Como debatedor do Painel: Diretrizes e focos de ação da política de inovação e desenvolvimento tecnológico, o Almirante Petronio explicou que a Marinha busca uma sinergia completa e muita cooperação entre as áreas de Conhecimento, Governo e a Indústria de transformação.

Se nós montarmos uma estrutura, ainda mais conectada, na área do conhecimento vamos avançar mais rápido no desenvolvimento da Ciência e Tecnologia. Na área de cooperação com o Governo o apoio é essencial para a execução dos Projetos e Programas. A cooperação na área da Defesa proporciona benefícios, inclusive para a sociedade, por meio do arrasto tecnológico a ser vivido pelo País”, enfatizou o Almirante Petronio.

 

Participação do DGDNTM no painel: Diretrizes e focos de ação da política de inovação e desenvolvimento tecnológico