Medidas para redução de consumo da energia elétrica (Decreto nº 10.779/2021)

 

 

  Desde longo tempo, a Marinha do Brasil (MB) vem adotando uma série de medidas para a redução do consumo de Energia Elétrica, bem como dos custos decorrentes.

  Para isso, além de um incessante processo de conscientização do pessoal, estabelecimento de procedimentos e rotinas que contribuem para esse objetivo, a MB tem realizado vários investimentos em Eficiência Energética, Geração Distribuída Fotovoltaica e inserção no Mercado Livre de energia.

 
Planta Fotovoltaica do Comando do 3º Distrito Naval (Natal-RN)
 

  Adicionalmente, no mês de setembro de 2021, foram intensificadas medidas de economia buscando atingir a meta de redução de consumo de energia estabelecida no Decreto nº 10.779/2021, obtendo os seguintes dados:

 
QUADRO COMPARATIVO DE CONSUMOS (Art. 4º do Decreto nº 10.779/2021)
Meses Média do Consumo (kWh) Mês Consumo (kWh) Redução
SET2018/SET2019 15.807.353,31 SET2021 15.035.930,98 4,9 %
OUT2018/OUT2019 17.676.452,97 OUT2021 14.950.319,34 15,42 %
 

  Com o esforço empreendido, em setembro de 2021, alcançou-se uma redução de 4,9% e em outubro de 2021, uma redução de 15,42%, em relação a média de consumo dos meses correspondentes de 2018 e 2019.

 

  Não obstante todo o esforço empreendido para a redução de consumo de energia, alguns fatores fizeram com que alguns Setores da MB não atingissem a meta desejada, de modo que a redução de consumo na MB não tenha sido mais contundente:

- Ativação de novas Organizações Militares, como o Centro de Intendência da Marinha em Parada de Lucas (CeIMPL);

- Ampliação do atendimento à comunidade marítima pela Capitania dos Portos do Ceará (CPCE) e cumprimento do Programa de Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários (PREPOM), realizando vários cursos durante o mês de setembro de 2021;

- Construção da nova sede do Núcleo de Assistência Social da Escola de Aprendizes Marinheiro (NAS-EAMCE), que recebeu vários novos equipamentos;

- Aumento do número de refletores, na Estação Rádio da Marinha em Natal (ERMN) em prol da segurança, e guarnecimento permanente dos Serviços de Comunicações;

- Aumento da demanda do Hospital Naval de Recife (HNRe), devido a ampliação da sua capacidade de armazenamento de medicamentos e insumos relacionados ao combate do COVID-19 e a reabertura da sua UTI, a partir de 17 de setembro de 2020;

- Elevação de categoria da Delegacia da Capitania dos Portos em São Francisco do Sul (DelSFSul) para 1ª classe, ocorrida em janeiro de 2020, no qual foram acrescentados novos compartimentos para a estrutura da OM e novos equipamentos para as salas recém criadas;

- Aumento do número de cursos nas Capitanias e Agências subordinadas ao Comando do 6º Distrito Naval, em virtude da demanda reprimida gerada pelas restrições impostas pela COVID-19 em 2020;

- Aumento da demanda de serviços prestados pela Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP);

-  Ampliação das instalações da Delegacia de Presidente Epitácio (DelPEpitácio);

- Reestruturação da Policlínica Naval de Manaus (PNMa), com o aumento do número de consultórios médicos, criação de uma sala para realização de procedimentos cirúrgicos e instalação de uma plataforma elevatória incrementando a acessibilidade dos usuários dessa unidade de saúde; e

- Especificamente no que tange aos Centros de Instrução, Hospitais, Escola Naval (EN) e Laboratório Farmacêutico da Marinha (LFM), cabe destacar que ocorreram reformas de adequações de clínicas, ampliação de salas de aula e setores administrativos; instalação de equipamentos médicos de grande porte; incremento nas demandas de atendimento e internação nas OM de saúde e aumento na produção de medicamentos pelo LFM.