18 de junho de 2020 - 52º Aniversário do Comando de Operações Navais

ORDEM DO DIA No 4/2020

Assunto:         52o Aniversário do Comando de Operações Navais

 

                        Após uma reestruturação no Ministério da Marinha, que transferia a cúpula naval para a jovem cidade de Brasília, foi criado o Comando de Operações Navais (ComOpNav), juntamente com os demais Órgãos de Direção Setorial, em 18 de junho de 1968, por meio do Decreto nº 62.860. À época, a Alta Administração Naval tomou a importante decisão de manter o Comando do Setor Operativo da Marinha de Guerra junto ao principal contingente da Esquadra  e da Força de Fuzileiros da Esquadra, no Rio de Janeiro. Dessa forma, novas evoluções puderam ser implementadas para tornar mais ágeis e eficientes as atividades operativas do Poder Naval Brasileiro.

                        Com a nova estrutura, o ComOpNav recebeu a nobre missão de aprestar e empregar as Forças Navais, Aeronavais e de Fuzileiros Navais subordinadas, a fim de contribuir para a defesa da Pátria, para a garantia dos poderes constitucionais e da lei e da ordem, para o cumprimento das atribuições subsidiárias previstas em Lei e para o apoio à Política Externa.

                        Ao longo dos 52 anos de sua história, este Órgão de Direção Setorial vem conduzindo inúmeras atividades na vasta extensão do território brasileiro, na Amazônia Azul e no exterior. Seja na defesa de nossa soberania nas águas jurisdicionais brasileiras, na atuação de forma efetiva e contínua em operações, no controle do tráfego marítimo, nas atividades de busca e salvamento, na participação em missões sob a égide de organismos internacionais ou no enfrentamento a novos desafios e ameaças, o ComOpNav conta com o profissionalismo, dedicação e comprometimento de Marinheiros, Fuzileiros Navais e Servidores Civis, homens e mulheres de seu Estado-Maior e dos Comandos subordinados, para o cumprimento das relevantes tarefas que lhe são atribuídas.

                        No contexto das complexas, abrangentes e diversificadas atividades a cargo do Setor Operativo da Marinha do Brasil (MB), executadas em cenários e conjunturas cada vez mais desafiadores, faz-se oportuno destacar as conquistas alcançadas no último ano pelo ComOpNav e por suas Forças Navais, Aeronavais e de Fuzileiros Navais subordinadas.

                        Foram inúmeras participações exitosas em relevantes Operações, no âmbito nacional e internacional, de natureza singular, conjunta ou combinada, dentre as quais podemos citar: “UNITAS XL” e “UNITAS ANFÍBIO” que, em 2019, foram sediadas no Brasil sob a organização da MB; “LÍBANO XVI” e “XVII”, com a participação de meios operativos e exercendo o Comando da Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL); “Formosa 2019”, o maior exercício realizado pela MB no Planalto Central, que visa manter as condições de pronto emprego dos Fuzileiros Navais; “Amazônia Legal”, em apoio ao combate a crimes ambientais; “Mandacaru”, em apoio à Segurança Pública no Ceará; “Amazônia Azul, Mar Limpo é Vida”, que coordenou ações visando a mitigar o derramamento de óleo que atingiu o nosso litoral; e Operações de Cooperação com a Defesa Civil, destacando a presença nos estados de Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, por ocasião das fortes chuvas que acometeram aquelas regiões.

                        Nas áreas de desenvolvimento tecnológico e de aprimoramento da capacidade operativa, destacamos as seguintes realizações: lançamento do segundo e do terceiro protótipos do Míssil Antinavio lançado de Superfície (MANSUP); evolução do Projeto “CON ENERGIA” para o Programa “Energia Naval”, implementando ações para eficiência energética em toda a Marinha; desenvolvimento do Projeto “Lancha Operativa Fluvial Excalibur”; capacitação das tripulações que irão guarnecer os meios operativos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e a Base de Submarinos da Ilha da Madeira; e criação do Centro de Desenvolvimento de Guerra Naval (CDGN), dentro da estrutura regimental do ComOpNav.

                        Também cabe mencionar a inclusão de novas organizações militares e a reclassificação de outras já existentes, em face dos recentes desafios operativos e da necessidade de incrementar a capilaridade da Força Naval no território brasileiro. Neste contexto, destacam-se:

                        - a criação da Capitania Fluvial de Goiás;

                        - a ativação do Comando Naval de Operações Especiais, do Serviço de Sinalização Náutica do Sul-Sudeste, da Delegacia Fluvial de Furnas, da Agência de Oiapoque, do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte, do Grupo Executivo de Aeronaves Remotamente Pilotadas, do Grupo Aéreo Naval de Manutenção e do Centro de Intendência da Marinha em Niterói;

                        - a reclassificação e elevação das competências da Capitania dos Portos de Macaé, da Capitania Fluvial de Porto Velho, da Delegacia da Capitania dos Portos em São Francisco do Sul, da Capitania Fluvial de Mato Grosso, da Capitania Fluvial de Juazeiro e do 3º Batalhão de Operações Ribeirinhas de Ladário; e

                        - a transferência para o Setor Operativo do Navio de Socorro Submarino “GuillobeL”.                      

                        Atualmente, o ComOpNav e seus Comandos subordinados empregam meios e recursos humanos em contribuição a quatro grandes operações: a “COVID-19”, no âmbito do Ministério da Defesa, e a Operação “Grande Muralha”, no âmbito da MB, ambas no apoio ao enfrentamento do novo coronavirus; a Operação “Verde Brasil 2”, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública, com foco em ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal; e a Operação “Acolhida”, que presta assistência aos imigrantes venezuelanos necessitados que se deslocam para o Brasil.

                        É digno de nota, ainda, a participação do Setor Operativo, com o apoio das Diretorias do Setor da Diretoria-Geral de Navegação, na coordenação das ações decorrentes do incidente de navegação com o Navio Mercante “STELLAR BANNER”, para a remoção de material, a reflutuação e o alijamento da embarcação sinistrada. A participação simultânea de meios e pessoal nesse evento e nas operações citadas anteriormente, todos de grande magnitude e relevância para os interesses nacionais, denota a prontidão e o preparo do nosso pessoal e meios, e contribui para elevar a imagem da nossa Marinha perante a sociedade brasileira e a comunidade internacional.

                        Por fim, no momento em que celebramos mais um aniversário de criação do Comando de Operações Navais e as significantes conquistas alcançadas, é justo homenagear e agradecer aos Oficiais, Praças e Servidores Civis que nos antecederam, cujos exemplo e legado devemos honrar e aperfeiçoar. Inspirado, portanto, pelo abnegado espírito marinheiro de nossos antecessores, congratulo-me com toda a Tripulação do ComOpNav, motivo de orgulho e satisfação pelos inestimáveis serviços prestados, e concito-os a renovar o entusiasmo e o fogo sagrado, para que se mantenham firmes no propósito de contribuir para um futuro ainda melhor para a nossa Marinha e o nosso Brasil.

 

                        Parabéns Comando de Operações Navais! Bravo Zulu!

                        VIVA A MARINHA! TUDO PELA PÁTRIA!

 

 

ALIPIO JORGE RODRIGUES DA SILVA

Almirante de Esquadra

Comandante de Operações Navais