Marinha e Exército retiram recipientes químicos no RS.

Em mais uma ação em conjunto, a Marinha e o Exército, em parceria com a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), começaram a recolher durante a semana tonéis e grandes recipientes de produtos químicos levados pelas enchentes na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul.

A atividade contou com militares especializados do Batalhão de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da Marinha e do 1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear do Exército que recolheram mais de 1.950 recipientes de diferentes tamanhos nos dois primeiros dias de ação.

O pedido para a retirada dos recipientes veio da Fepam. Segundo o Presidente da Fundação, Renato Chagas, as embalagens arrastadas pelas enchentes contém resquícios de produtos químicos. “A Fepam solicitou o auxílio da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, buscando acelerar o processo de recolhimento para a evitar o manuseio e uso indevido dos recipientes pela população. Para avaliação da composição e do potencial de contaminação, técnicos da Fundação fizeram coleta de lodo na região para análise”, esclareceu o presidente.

As atividades de retirada dos recipientes seguem até hoje. A estimativa é que mais de 2 mil bombonas sejam recolhidas. O Comandante do Destacamento NBQR da Operação “Taquari 2“, Primeiro-Tenente (Fuzileiro Naval) Igor de Oliveira Lage, explica que inicialmente foi realizada uma varredura na região com detectores químicos para verificar a presença de agentes nocivos às pessoas e ao meio ambiente. “Durante os dias de operação, foram retirados tonéis que se encontravam dispersos entre a natureza e a residência dos moradores. A operação é importante para dar segurança aos cidadãos da região quanto ao tipo de material coletado e também para o meio ambiente, visto a grande quantidade de plástico liberado nas áreas do bairro”.

Operação “Taquari 2”

Desde o dia 30 de abril, militares da Marinha atuam nas cidades gaúchas atingidas pelas chuvas. A Força emprega helicópteros, navios, embarcações e viaturas para prestar auxílio à população gaúcha e já realizou o transporte de mais de 400 toneladas de donativos e 130 mil litros de água engarrafada. Um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais em Apoio à Defesa Civil também foi enviado ao RS, onde está atuando no resgate de pessoas, transporte de material, desobstrução de vias, recuperação de estruturas, no apoio às forças locais de Segurança Pública e no fornecimento de água potável, com o uso de duas estações móveis de tratamento de água que somam a capacidade de 20 mil litros por hora.

 

Fonte: Agência Marinha de Notícias
Acesse: https://www.agencia.marinha.mil.br/