Marinha do Brasil apoia o maior festival folclórico da Floresta Amazônica

Há mais de duas décadas, a Marinha do Brasil vem apoiando o maior festival folclórico em plena Floresta Amazônica.

Todos os anos milhares de turistas se deslocam para Parintins com o objetivo de prestigiar o Festival. Mais de 369 quilômetros dividem o município da capital Manaus e há apenas duas formas de locomoção: barco ou avião.

Para atender essa demanda, desde o dia 16 de abril, a Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) iniciou os preparativos da Operação Parintins 2018 com o recebimento das solicitações das Vistorias Especiais para a concessão do “PASSE” para as embarcações que trafegariam pelo trecho Manaus (AM) – Juruti (PA), no período de 25 de junho até o fim do festival.

Ao todo, a CFAOC recebeu mais de 220 solicitações de Passe Livre. Destas, 196 receberam o PASSE, documento que agilizou a fiscalização no momento em que a embarcação foi abordada em um dos três postos fixos de fiscalização: um no Encontro das Águas dos Rios Negro e Solimões; e os outros dois nas Barreiras de Inspeção Naval em Itacoatiara e Parintins.

Durante a Operação “Chapa Quente”, a CFAOC registrou um aumento de 64% de passageiros, em relação ao ano passado; o que representou mais de 23 mil pessoas saindo do Porto de Manaus, Itacoatiara e localidades próximas a Parintins.

Na ilha Tupinambarana, a Agência Fluvial de Parintins registrou 385 embarcações atracadas/abarrancadas ou fundeadas - um número bastante expressivo, ainda não registrado pela Agência anteriormente. No total, 62 embarcações foram notificadas.

Nesta Operação, a Marinha empregou cerca de 400 militares; um Navio de Assistência Hospitalar (NAsH) Oswaldo Cruz e os Navios-Patrulha Fluvial (NPaFlu), Pedro Teixeira, Roraima e Rondônia, subordinados ao Comando da Flotilha do Amazonas (ComFlotAm); uma aeronave do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral; e 18 embarcações de Inspeção Naval da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) e das Agências Fluviais de Parintins e Itacoatiara.

A Operação teve o propósito de garantir a segurança do tráfego aquaviário, a salvaguarda da vida humana e a prevenção da poluição hídrica. “Segurança Caprichada, Alegria Garantida!”

Patrulha e Inspeção Naval em Parintins

NPaFlu Pedro Teixeira e o helicóptero modelo Esquilo do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral patrulhando nas águas do Rio Amazonas