CFB recebe Grupos Escoteiros do Mar

20/12/2021

Foram desenvolvidas atividades nas dependências do CAALEX e da CFB

No último dia 4 de dezembro, a Capitania Fluvial de Brasília (CFB) realizou uma série de atividades com o 23º Grupo Escoteiro do Mar Almirante Benjamin Sodré, de Brasília (DF), e o 32º Grupo Escoteiro do Mar Manoel Fernandes de Carvalho, da cidade de Uruaçu (GO). O evento foi voltado para a Tropa Escoteira, com idades de 11 a 15 anos, e para o Ramo Sênior, formado por jovens de 15 a 17 anos.

Os escoteiros foram divididos em sete equipes, que se revezaram ao longo do dia por sete oficinas de atividades, criadas para o evento: 1) carta náutica e sextante — este, desconhecido até então para os escoteiros —, em que houve uma breve explicação sobre os métodos de navegação usados na Marinha e foi ensinado o manuseio da carta náutica, com réguas paralelas e compasso; 2) Lancha de Apoio ao Ensino e Patrulha (LAEP-10 “CT Brezinski”), em que muitos jovens tiveram a oportunidade de navegar pela primeira vez, puseram em prática o que fora traçado na carta náutica e receberam adestramento sobre o uso e sobre a necessidade dos equipamentos de segurança a bordo; 3) sobrevivência no mar, em que, após desembarcarem da LAEP-10 “Brezinski”, os escoteiros foram levados à popa da LAEP-7 “Brasília”, atracada ao cais da patromoria da CFB, e aprenderam a saltar de uma embarcação — em expediente de navegação conhecido como “postos de abandono” — e os procedimentos para sobrevivência em flutuação coletiva; 4) primeiros socorros, em que foram ensinados aos escoteiros os procedimentos tomados em caso de afogamento, com o suporte do Hospital Naval de Brasília, que cedeu um manequim de treinamento para reanimação cardiorrespiratória, e permitiu a rica aplicação prática do aprendizado teórico; 5) classe de marinharia, em que cada escoteiro foi ensinado nós e voltas e toques de apito, e presenteado, ao fim da instrução, com um apito marinheiro, afinado pelo Mestre da capitania e por militares de sua equipe; 6) lançamento de retinida, em que os jovens escoteiros aprenderam a importância deste instrumento para a atracação de navios; e 7) escaler a vela, em que foi ensinada, em aula ministrada pelo CMG (RM1) Mamede, a arte de velejar e oferecido passeio a vela na enseada do Clube Almirante Alexandrino (CAALEX).

As três primeiras oficinas foram montadas na Patromoria da CFB; as demais, nas dependências do CAALEX.

A equipe da CFB realizou, também, demonstrações de combate à poluição hídrica, com o intuito de fomentar nos escoteiros a mentalidade responsável quanto à necessidade premente da preservação ambiental.