Infraestrutura de Dados Espaciais Marinhos

O que é?

O termo Infraestrutura de Dados Espacais (IDE) é comumente utilizado para descrever o conjunto de tecnologias, políticas e acordos institucionais adotados em um sistema interoperável que permite a busca, o acesso e a visualização de dados geoespaciais. Nesse sentido, a Infraestrutura de Dados Espaciais Marinhos (IDEM), ou no inglês, Marine Spatial Data Infrastructure (MSDI), pode ser compreendida como a componente marítima de uma IDE. 

A IDEM-DHN foi desenvolvida no âmbito da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN) para promover o intercâmbio dos dados do BNDO dentro de padrões e boas práticas de governança, além de integrar a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE) na modalidade nó Próprio. Fazem parte de sua estrutura as seguintes ferramentas:

Catálogo de metadados –  – permite aos usuários realizar a pesquisa dos dados existentes em uma área, período e temas, além de fornecer informações complementares como resumo, propósito, extensão temporal e geográfica, palavras-chaves, e, principalmente, indicar o acesso aos recursos online disponíveis. O catálogo de metadados utiliza o software livre e de código aberto, chamado Geonetwork e o  perfil de Metadados Geoespaciais do Brasil (MGB), ambos recomendados pela INDE e de acordo os padrões ISO e da Open Geospational Consortium OGC.

Catálogo de geosserviços –  permite a disponibilização dos dados para visualização e download na web através de geosserviços. Os geosserviços também podem ser consumidos por outras aplicações como QGIS e aplicativo em Smartphone, por exemplo. No Catálogo de Geosserviços é possível exportar  dados e informações geoespaciais para uma ampla gama de formatos, tanto para edição de objetos como para a apresentação de mapas. Utilizamos o Geoserver que é um software livre e de código aberto amplamente utilizado para publicação de geosserviços seguindo os padrões do Open Geospational Consortium (OGC).

Visualizador (Geoportal) –  é uma ferramenta para visualizar os dados e metadados de forma integrada. Permitindo assim o acesso rápido aos dados atualizados. Futuras funcionalidades do visualizador estarão disponíveis em breve.

Figura 1: Esquema de sistemas utilizados para compor a IDEM-DHN.

Propósito

A IDEM-DHN foi concebida com o propósito de catalogar, integrar e harmonizar dados geoespaciais abertos produzidos ou mantidos e geridos pela Diretoria de Hidrografia e Navegação, de modo que possam ser facilmente localizados, explorados em suas características e acessados para os mais variados fins por qualquer usuário com acesso à Internet. Os dados e informações abertos produzidos ou mantidos e geridos pela Diretoria de Hidrografia e Navegação estão descritos na Portaria n°13/2018 da Diretoria de Hidrografia e Navegação.

Objetivos

A IDEM-DHN visa atender compromissos nacionais e internacionais de intercâmbio de dados ambientais marinhos, dente eles:

  1. O Plano de Ação para Implantação da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais – INDE instituída pelo Decreto Nº 6.666 de 27/11/2008;
  2. Planejamento Espacial Marinho – PEM da Amazônia Azul coordenado pela Comissão Interministerial para os Recursos do Mar;
  3. Servir de Banco Nacional de Dados Oceanográficos – BNDO conforme estabelecido no Decreto de 5 de janeiro de 1994;
  4. Os requisitos do Programa Internacional de Intercâmbio de Dados e Informações Oceanográficas – IODE da Comissão Oceanográfica Intergovernamental – COI da UNESCO; e
  5. O Grupo de Trabalho Infraestruturas de Dados Espaciais Marinhos – sigla do inglês MSDIWG, promovido pela Organização Hidrográfica Internacional – OHI.

Plano de Ação

O planejamento das ações de implantação da IDEM-DHN está sob coordenação do Centro de Hidrografia da Marinha. A catalogação e publicação dos dados serão realizados de forma continuada e em prioridade ao atendimento aos objetivos elencados acima. Atualmente, os esforços estão sendo concentrados na disponibilização de todos os dados que compõem o acervo no BNDO na IDEM.