Corpo de Fuzileiros Navais homenageia Revolução Constitucionalista em São Paulo

     Para lembrar a Revolução Constitucionalista de 1932, as Bandas Sinfônica e Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) realizaram diversas apresentações pelo Estado de São Paulo, entre os dias 5 e 9 de julho, com o apoio do Comando do 8º Distrito Naval e de Organizações Militares do Exército Brasileiro.

     A primeira apresentação da Banda Marcial ocorreu em Sorocaba, no dia 6 de julho, no 7º Comando de Policiamento do Interior (CPI-7) da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O evento contou com a presença do prefeito da cidade, José Crespo, que falou da importância da cidadania e dos valores para o bem comum da sociedade, e pediu aos presentes uma salva de palmas para os músicos militares.

     No dia 7 de julho, as bandas viajaram para a cidade de Osasco, para uma apresentação no SESI-SP. A Banda Marcial abriu o evento e emocionou o público com suas evoluções ao som de dobrados militares. Em seguida, foi a vez de a Banda Sinfônica do CFN se apresentar em um concerto com um repertório para todas as idades, com canções como “Carmina Burana” e “The Beauty and the Beast”, trilha sonora do filme A Bela e a Fera.

     Ainda no mesmo dia, a Banda Marcial do CFN fez uma apresentação no Comando do 8º Batalhão de Polícia do Exército para a tripulação, familiares e população local. O Comandante da 2ª Região Militar do Exército Brasileiro, General de Divisão Adalmir Manoel Domingos, declarou ter sido uma honra assistir à demonstração de cultura, lazer e entretenimento proporcionados pela Banda Marcial, que contagiou todo o público presente.

     No domingo, 8 de julho, com a Avenida Paulista fechada ao trânsito, a Banda Sinfônica fez, nas palavras do regente da Banda, Capitão de Fragata (T) Sidney da Costa Rosa, “uma das mais brilhantes apresentações realizadas nos últimos tempos”, atraindo um público de quase 2 mil pessoas.

     - A interação do público foi o fator preponderante para que o espetáculo atingisse sua plenitude -, destacou.

     Encerrando as atividades em São Paulo, a Marinha do Brasil abriu o desfile cívico-militar no Obelisco do Ibirapuera com a apresentação da Banda Marcial do CFN formando a tradicional figura de uma âncora. Ao final da apresentação, a Banda Marcial assumiu a formação dos caracteres MMDC – acrônimo dos mártires da Revolução Constitucionalista de 1932: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo.