Parada Após o Pôr do Sol celebra o sucesso dos 13 anos da Missão de Paz no Haiti

     Para marcar os 13 anos da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH), encerrada em outubro de 2017, o Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais promoveu, nos dias 22, 23 e 24 de outubro, a Parada Após o Pôr do Sol, na Fortaleza de São José da Ilha das Cobras, Centro do Rio.

     A cerimônia militar noturna se utilizou de narrativas, intercaladas por apresentações das Bandas Marcial e Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais, exibição de vídeos institucionais sobre a MINUSTAH e simulação de patrulhas em veículos blindados para contar a trajetória dos Fuzileiros Navais no país caribenho.

     A homenagem, inédita ao longo desses 13 anos, reuniu um público estimado em 2.200 pessoas e teve como propósito apresentar à Família Naval e aos civis convidados aspectos que marcaram a atuação dos Fuzileiros Navais no Haiti. O evento contou com a presença do Comandante da Marinha, de membros do Almirantado, de ex-Ministro e antigos Comandantes da Marinha, dentre outras autoridades civis e militares.

     De acordo com a Embaixatriz Roseana Kipman, que passou quatro anos no Haiti e acompanhou de perto a atuação dos militares brasileiros, a cerimônia foi uma maneira de “fechar com chave de ouro os 13 anos de sucesso das Forças Armadas brasileiras no país”.

     - Ao longo desses quatro anos, pude ver a alma das Forças Armadas, trabalhei com o coração de cada um de vocês. Tivemos conquistas inacreditáveis, salvamos muitas pessoas durante o terremoto. Na embaixada, tive a graça de ser protegida por 13 Fuzileiros Navais. E tudo o que fiz foi porque eles estavam lá: enterramos gente, subimos e descemos montanhas, combatemos o cólera no foco. Tudo se pode fazer quando se tem fuzileiros navais ao lado. Emociono-me ao ver que esses soldados armados e poderosos também podem ser gentis, amáveis e se preocupar comigo, colocando minha vida à frente da deles. Não tenho palavras para agradecer -, elogiou a Embaixatriz.