Sobre a Base

Complexo Naval da Ilha de Mocanguê

Missão

A Base Naval do Rio de Janeiro tem como propósito contribuir para o aprestamento dos meios navais da Marinha do Brasil (MB), na área do Rio de Janeiro, desenvolvendo as seguintes tarefas:

  • prover facilidades de estacionamento aos navios da MB no porto do Rio de Janeiro
  • prover serviços de manutenção e reparo a nível de 2º e 3º escalões, compatíveis com os recursos disponíveis, aos navios da MB no porto do Rio de Janeiro
  • prover serviços de manutenção e reparo às embarcações de pequeno porte das Organizações Militares (OM) sediadas no Rio de Janeiro
  • prover infraestrutura de apoio às OM nela sediadas
  • exercer a atividade industrial

Histórico

A Ilha de Mocanguê, onde se localiza a Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ), foi recebida pela Marinha do Brasil por doação do Governo Federal em 21 de dezembro de 1973

A história de nossa Base tem início em janeiro de 1976, quando o Comandante de Operações Navais autorizou o núcleo de implantação da futura Estação Naval do Rio de Janeiro que foi oficialmente criada em 14 de julho de 1977

Em 08 de agosto do mesmo ano o Navio-Oficina Belmonte atracou no Píer da Ilha de Mocanguê e, uma semana mais tarde, seis Contratorpedeiros foram transferidos do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro para a recém ativada Organização Militar

Em 12 de maio de 1986 foi extinta a Estação Naval e, em seguida, criada a BNRJ pela Portaria Ministerial no 0506 de 15 de maio de 1986

Heráldica

Portaria MM 1028 de 11 de novembro de 1986, da Base Naval do Rio de Janeiro

 

Escudo BNRJ

DESCRIÇÃO: Num escudo boleado, encimado pela coroa naval e envolto por elipse de cabo de ouro terminado em nó direito, campo azul com esfera armilar de ouro com três setas do mesmo metal voltadas para cima; contrachefe de prata e sobre traço de cortado meia roda de lema, de ouro; cortada de meia roda dentada de vermelho

 

EXPLICAÇÃO: A roda dentada e a roda de leme simbolizam os dois característicos Departamentos da Base Naval, o industrial e o militar. A esfera armilar com três setas, a mesma constante do brasão da cidade do Rio de Janeiro, alude à localização da base em apreço