Militares embarcados realizam exercícios para manter condicionamento físico

Leia Mais

Militares embarcados realizam exercícios para manter condicionamento físico

Atividades também auxiliam na prevenção de doenças e prontidão para o serviço
26/10/2022
Agência Marinha de Notícias
Brasília, DF

A prática de atividade física provoca uma série de modificações morfológicas, fisiológicas e psicológicas no corpo humano, o que traz benefícios à saúde, ao bem-estar geral e garante uma eficiência funcional conhecida como aptidão física. Os exercícios incluem elementos considerados fundamentais para uma vida ativa e com menos riscos de doenças como obesidade, problemas articulares e musculares e doenças cardiovasculares, proporcionando uma perspectiva de vida mais longa e autônoma. 

Essas considerações são do Chefe do Departamento de Segurança da Base Naval da Ilha das Cobras e Pós-Graduado em Treinamento Desportivo, Capitão de Corveta (Educador Físico) Rodrigo Tiellet Oliveira Branco de Miranda, e do Chefe do Departamento de Educação Física do Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN), Capitão-Tenente (Educador Físico) Pedro Moreira Tourinho. 

De acordo com eles, a aptidão física coopera para uma maior prontidão dos militares para o serviço, uma vez que os indivíduos aptos fisicamente são mais resistentes a doenças e se recuperam com mais rapidez de lesões do que pessoas inaptas fisicamente. Fator importante nas Forças Armadas, cuja necessidade de preparo físico é inquestionável, já que os militares têm que estar prontos permanentemente para serem acionados quando for preciso.

No entanto, devido à diversidade de locais em que os militares estão presentes, algumas adaptações são necessárias, como no caso de um navio. Independentemente do tipo de atividade realizada, o Treinamento Físico Militar (TFM) deve ser sempre orientado e praticado, mesmo em espaços reduzidos e em condições não usuais para a execução. “Apesar de ter a prática dificultada devido ao local, o exercício físico a bordo dos navios é uma forma de manter-se saudável e prevenir problemas de saúde”, afirmou o Capitão de Corveta Tiellet.

TFM a bordo dos navios
Um dos benefícios do TFM é servir como uma válvula de escape e meio de descontração em um ambiente que pode apresentar desgaste emocional e aumento nos índices de estresse, melhorando o relacionamento interpessoal, aumentando a disposição, a prontidão para o trabalho e a produtividade.

“As atividades devem ser realizadas de forma gradual e sistematizada, com o auxílio do militar responsável pelo TFM nos navios para proporcionar a manutenção preventiva da saúde do militar e para desenvolver e manter sua condição física. É possível observar a importância destinada ao TFM nas comissões operativas da Esquadra, como, por exemplo, ASPIRANTEX, ADEREX, entre outras operações que são realizadas ao longo do ano pela Marinha do Brasil”, detalhou o Capitão-Tenente Pedro Moreira.

No cumprimento de sua missão, os navios realizam diversas operações e adestramentos militares para treinamento do seu pessoal. Desse modo, durante o período das operações no mar, esses militares passam muitos dias, e até meses, fora de casa e afastados da vida social mais ampla, em um regime semelhante a um confinamento.


Navio-Aeródromo Multipropósito “Atlântico”, capitânia da Esquadra

Importância das atividades físicas
Segundo o Guia sobre Condicionamento Físico, Nutrição Esportiva e Prevenção de Lesões do CEFAN, estima-se que, no Brasil, cerca de 47% da população é considerada sedentária. De acordo com os critérios da Organização Mundial da Saúde, o sedentarismo é o quarto maior fator de risco de mortalidade, perdendo apenas para doenças relacionadas ao aumento da pressão arterial, ao fumo e à glicemia elevada. O sedentarismo é responsável também por, pelo menos, 21% dos casos de tumores malignos na mama e no cólon; 27% dos registros de diabetes; e 30% das doenças cardíacas.

Segundo o Capitão de Corveta Tiellet, “a inatividade física, independentemente do método de classificação, é onerosa à economia da saúde em todo o mundo e diretamente responsável pelo alto gasto com medicamentos, internação hospitalar e consultas clínicas. Estudos mostram que quanto maior o nível de atividade física, menor uso e custo com medicamentos, consultas clínicas e hospitalizações”.

Ele também reforça que “especificamente no Brasil, estima-se que uma diminuição em 50% na inatividade física poderia reduzir os custos com medicamentos e internações relacionados a diabetes em 13%, e relacionados à hipertensão em 12%. Em nosso País, a inatividade física se relaciona com 3% a 5% das principais doenças crônicas não transmissíveis e com 5,31% de mortes por todas as outras causas”. 

Desempenho profissional 
A condição física do militar é essencial para a manutenção da saúde, da eficiência em seu desempenho profissional. A tomada de decisão diante de imprevistos e a segurança da própria vida dependem, em muitas situações, direta ou indiretamente, das qualidades físicas e do espírito de corpo proporcionados pela prática do TFM.

A prática de exercícios físicos provoca, naturalmente, diversas adaptações no funcionamento do organismo. Essas adaptações trazem benefícios para a saúde e propiciam condições para a eficiência do desempenho profissional. Também tem sido demonstrado que uma vida ativa está relacionada à saúde mental positiva e ao bom humor dos praticantes, podendo desenvolver requisitos básicos e atributos da área afetiva que, estimulados e aperfeiçoados, poderão atuar eficazmente no comportamento, exercendo papel fundamental na personalidade.

“Existem diretrizes na própria Marinha que orientam a prática de exercícios e tentam minimizar sua dificuldade de execução em navios ou em ambientes com espaço reduzido. Além disso, o CEFAN dispõe do Programa de Orientação e Apoio ao TFM, com profissionais qualificados disponíveis para assessorar as diversas Organizações Militares da MB no assunto TFM”, explicou o  Capitão-Tenente Pedro Moreira.

Ele complementa que há diversos benefícios com a prática dos exercícios físicos como a melhora da autoestima, da imagem corporal, da tensão muscular e da insônia além da diminuição do estresse e da ansiedade. "A prática pode atuar também na diminuição de cefaleias, hostilidades, fobias, erros no trabalho, raiva, abuso de álcool, ansiedade e depressão”, conclui.


Militares das três Forças participaram este ano da NAVAMAER, tradicional competição entre atletas-militares que servem para estimular a prática de exercícios físicos e desportivas

Agência Marinha de Notícias