Marinha reforça operação de combate a incêndio subterrâneo em Reserva Biológica no Amapá

Leia Mais

Marinha reforça operação de combate a incêndio subterrâneo em Reserva Biológica no Amapá

Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional reconheceu situação de emergência na região
24/11/2023
Primeiro-Tenente (RM2-T) Augusto Rodrigues
Belém, PA

Desde 11 de novembro, militares da Marinha do Brasil (MB) atuam no combate a um incêndio subterrâneo que atinge a Reserva Biológica do Lago Piratuba, no leste do Amapá. Mais de 27 mil hectares de floresta já foram queimados, dos quais 8 mil estão na Reserva. A frente de trabalho está concentrada na porção sudoeste da unidade de conservação.

A Reserva do Piratuba possui 392.474,85 hectares, distribuídos entre os municípios de Amapá e Tartarugalzinho. Por ser subterrâneo, o incêndio de turfa (isto é, a queima da matéria orgânica acumulada no solo, a profundidades que variam entre 40 cm e 1,5m) é um dos mais complexos a serem combatidos.

Os militares da MB atuam em conjunto com integrantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama). O trabalho soma mais de 60 horas de voo, em missões de transporte de cargas e brigadistas, além de lançamento de água nos focos.

 


Incêndio tem ameaçado faixas de mangue e açaizais. Foto: Marinha do Brasil

O combate é realizado de forma indireta, quando brigadistas cavam trincheiras para interromper o combustível do fogo e, de forma direta, por meio de sopradores, abafadores e lançamentos de água com helicóptero para conter o fogo superficial, que se alastra de forma rápida.

“Devido à grande extensão e à natureza do fogo, há uma quantidade enorme de fumaça na atmosfera, impedindo o voo visual. O terreno é macio e não sustenta o peso da aeronave, sendo necessário o embarque e desembarque de pessoas e carga com a aeronave em potência de voo”, explica o Capitão de Corveta André Medina, Comandante da operação.

Os 13 militares que compõem a tripulação do Super Cougar N-7105, do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte, sediado em Belém (PA), atuam no preparo e operação do helicóptero, que possui rede para carga externa e equipamento bambi bucket, que tem capacidade para armazenar até 600 litros de água.

De acordo com o ICMBio, o incêndio teve início em uma fazenda no entorno imediato da Reserva Lago Piratuba. O órgão realiza investigações para identificar os autores.


Aeronave é equipada com bambi bucket, recipiente dobrável, em formato de balde, projetado para despejar uma coluna de água concentrada diretamente no fogo em ações de combate aéreo a incêndios. Foto: Marinha do Brasil

Agência Marinha de Notícias