Marinha do Brasil e Armada Boliviana revisam documentos náuticos

Leia Mais

Marinha do Brasil e Armada Boliviana revisam documentos náuticos

Atualização sobre águas compartilhadas entre os dois países ocorreu durante a Comissão “Canal Tamengo 2023”
30/06/2023
Primeiro-Tenente (RM2-T) Lo Ruama Isabel Gomes de Sousa
Ladário, MS
Após dez dias na Comissão “Canal Tamengo 2023”, a Lancha Balizadora de Águas Interiores “Piracema”, subordinada ao Centro de Hidrografia e Navegação do Oeste (CHN-6), retornou, hoje (30), ao cais do Complexo Naval de Ladário (CNLa). A comissão é fruto de um acordo firmado entre a Marinha do Brasil e a Armada Boliviana, e visa à obtenção de dados batimétricos para a atualização de documentos náuticos, no Canal Tamengo e na Lagoa Cáceres, assim como a manutenção de auxílios à navegação da região, sendo realizada bienalmente.
 
Durante o período, foram adquiridos 3,95 GB de dados batimétricos monofeixe, referentes a extensão de 10 Km, os quais subsidiarão a atualização de três documentos náuticos correspondentes ao trecho. Também foram coletados dados topogeodésicos de pontos de interesse à navegação e de Referências de Nível, pertencentes às Estações Fluviométricas de Ladário (MS) e Tamarinero (BOL), as quais fornecem a altura do rio diariamente.
 
Em proveito do levantamento hidrográfico, militares da Armada Boliviana embarcaram nas lanchas de sondagem, para realizar a aquisição batimétrica, bem como puderam acompanhar o processamento dos dados e a metodologia para confecção das Folhas de Bordo, ambos realizados nas dependências do CHN-6. Todos os dados ambientais coletados durante a comissão serão disponibilizados ao Serviço Nacional de Hidrografía Naval da Bolívia, possibilitando a atualização da Carta Náutica H-2100 “Canal Tamengo”, de responsabilidade desta Organização Militar boliviana.
 
Os militares bolivianos acompanharam a atividade de manutenção dos Sinais de Auxílios à Navegação, dispostos às margens do Canal Tamengo, que contribuem para segurança da navegação na região. Essas ações, implementadas durante a comissão, reforçam a cooperação entre as duas Marinhas, além do estreitamento dos laços de amizade entres as Forças Navais.
 
Intercâmbio de conhecimento nas dependências do CHN-6
 
Para o Diretor do CHN-6, Capitão de Fragata Felipe Tangari, “esta comissão contribui para o aumento da confiança mutua, intercâmbio de conhecimentos, estreitamento dos laços de amizade e cooperação entre as duas Marinhas, de modo a aumentar a interoperabilidade entres as Forças Navais”.
 
 
Galeria de fotos: 
Agência Marinha de Notícias