Marinha apoia maior regata a vela da América do Sul, em Ilhabela (SP)

Leia Mais

Marinha apoia maior regata a vela da América do Sul, em Ilhabela (SP)

Embarcações e aeronaves da Força Naval atuam em prol da segurança da navegação
25/07/2023
Primeiro-Tenente (T) Ohana Gonçalves dos Reis Martinho
Ilhabela, SP

Com tiro do canhão de salva do Navio-Veleiro “Cisne Branco”, foi dada a largada da primeira competição de regata da 50ª edição da Semana Internacional de Vela em Ilhabela (SIVI), no litoral norte de São Paulo. A disputa começou no domingo (23) e vai até o dia 29 de julho, quando acontecem as premiações. No dia 22, a Banda de Música do Comando do 8º Distrito Naval se apresentou na cerimônia na abertura oficial da 50ª SIVI, ocorrida no bairro da Vila, no centro histórico da ilha.

Tradicionalmente, o “Cisne Branco” é utilizado em grandes eventos náuticos nacionais e internacionais, com o propósito de representar a Marinha e o Brasil, bem como estimular a mentalidade marítima e ampliar o conhecimento sobre a cultura naval e o interesse pelo mar.

“Após uma grande calamidade, que afetou o nosso litoral norte no verão passado, vemos diversas embarcações de esporte e recreio e de competição fomentando a maior competição de vela da América Latina. Neste grande evento, podemos ostentar o nome de ‘Capital da Vela’ do nosso País. A Marinha do Brasil e a Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião têm o orgulho de poder participar desta edição. Neste ano, vamos compartilhar com o público a presença do Navio-Veleiro ‘Cisne Branco’ e o mais novo navio da Marinha do Brasil: o Navio-Patrulha ‘Maracanã’”, disse o Delegado da Capitania dos Portos em São Sebastião, Capitão de Fragata André Luis Abreu Castelo Soares.

Segurança em primeiro lugar
Com a tarefa de fiscalizar o tráfego aquaviário e promover a segurança da navegação, a Marinha emprega, no evento, embarcações da Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião, da Capitania dos Portos de São Paulo, do Grupamento de Patrulha Naval Sul-Sudeste e uma aeronave do 1°Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral. Mais de 150 militares também atuam na garantia da salvaguarda da vida humana no mar e na prevenção à poluição hídrica oriunda das embarcações.

Em terra
Além das disputas na água, a população pode conferir uma série de atividades culturais e sociais na cidade, como palestras e exposições. No espaço Race Village, no bairro da Vila, a Marinha expõe, até o dia 26 de julho, das 10h às 22h, as maquetes do submarino convencionalmente armado com propulsão nuclear e do reator nuclear que o equipará. Os visitantes também vão encontrar expostos, materiais de defesa nuclear, biológica, química e radiológica, que são utilizados pelos Fuzileiros Navais.

Ainda na exposição, as famílias podem conhecer uma embarcação do tipo escaler, que foi modernizada por meio de um projeto da Marinha do Brasil e do Instituto Rumo ao Mar e relançada no último dia 11, para ser utilizada como protótipo da classe barco-escola, fomentando o interesse pela navegação a vela. O barco possui seis metros de comprimento e foi projetado para a introdução de jovens e adultos no universo da marinharia.

Público pode conferir o estande da Marinha, das 10h às 22h

Semana Internacional de Vela de Ilhabela
Organizada pelo Yacht Club de Ilhabela, a 50ª edição da SIVI acontece entre os dias 22 e 30 deste mês. O evento reúne competidores do esporte e entusiastas da cultura náutica. Mais de 100 barcos de diversas classes e tamanhos, de diferentes estados do País e de nacionalidade estrangeira, participam do evento.

Dentre os barcos participantes, o veleiro “Cooperação”, modelo Ranger 22, já pertenceu à Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante e, hoje, integra o projeto “Navega São Paulo de Praia Grande”, que é voltado para incentivar a prática de esportes náuticos e a consciência ambiental, ligada à preservação dos mares e rios, bem como coleta de detritos jogados nas águas e margens.

 

Galeria de fotos: 
Agência Marinha de Notícias