Esquadra promove ação social com famílias de pescadores artesanais

Leia Mais

Esquadra promove ação social com famílias de pescadores artesanais

O evento de Dia das Crianças reuniu comunidades do entorno de Niterói
16/10/2023
Capitão-Tenente (T) Simone Rezende Brandão
Niterói, RJ

Neste domingo (15), a Base Naval do Rio de Janeiro, em Niterói (RJ), sede da Esquadra, recebeu cerca de 140 pessoas, sendo 81 crianças e jovens com idade entre 8 e 15 anos, filhos de pescadores de Niterói, São Gonçalo, Complexo da Maré e Magé, que participaram do evento em comemoração ao Dia das Crianças. A iniciativa teve o propósito de promover a solidariedade, a cooperação e a interação da Marinha do Brasil (MB) com as comunidades tradicionais da categoria “Pesca Artesanal”.

A programação, que começou às 8h e se estendeu até o fim da tarde, contou com brincadeiras, atividades esportivas, exposições e visitação a navios. Maria Luiza Pereira, de 9 anos, contou como foi a experiência de estar na Esquadra e conhecer alguns dos navios da Marinha pela primeira vez: “Foi muito divertido, porque eu consegui ter um conhecimento maior sobre a Marinha e também consegui fazer várias brincadeiras divertidas... cabo de guerra. Fizeram até um mini circuito”.

O pescador Jardel de Oliveira, de 45 anos, aproveitou a oportunidade para trazer os  filhos. “Em 20 anos de pesca, eu nunca presenciei algo tão prazeroso para nossa família, pois nós não temos momentos de comunhão e de lazer como esse. É um momento único na vida das nossas crianças e na minha também”.


Familiares de pescadores conhecem o passadiço do Navio Doca Multipropósito “Bahia”.
 

A Presidente da Associação de Pescadores e Pescadoras da Vila Pinheiro e Maré (Apemar), Edilene Nascimento, que atuou em parceria com a MB para tornar possível a realização da atividade, explicou que o público assistido vive em áreas de risco e, em razão disso, se isola, tendo pouco acesso ao lazer e a novos lugares. “Ações como essa funcionam como um resgate à infância, proporcionando diversão, conhecimento e esperança de dias melhores para os corações dos pequenos e de seus familiares”, ressaltou Edilene, que também atua como voluntária na Capitania dos Portos do Rio de Janeiro, realizando trabalho social em prol dos pescadores artesanais, com a legalização e atualização da documentação de suas embarcações.

Estandes do Comando da Força de Superfície e do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC) também foram algumas das atrações, com a exposição de materiais de mergulho, maquetes dos navios, quadro de nós de marinharia, vídeos institucionais da Marinha e jogo da memória temático com os brasões de navios da Esquadra.


Exposição do GRUMEC foi uma das atrações do evento.
 

As atividades foram encerradas com a premiação dos vencedores da prova de Caça ao Tesouro. Todos os participantes, no entanto, receberam brinquedos e presentes doados por associações e empresas apoiadoras da ação social. O Comandante da Força de Superfície, Contra-Almirante Rudicley Cantarin, que coordenou o evento, ressaltou que iniciativas como essa não somente proporcionam alegria e estreitam o relacionamento da Força com a sociedade, como também são uma forma de apresentar para o público assistido uma nova perspectiva de vida.  “O contato dessas crianças e adolescentes com uma realidade que até então não tinham acesso proporciona ganhos para além do dia de hoje, pois permite a descoberta de uma possibilidade de carreira e de um futuro melhor”.

Desenvolvendo a Mentalidade Marítima
As visitações aos navios ocorreram à tarde e foram uma oportunidade de promover a mentalidade marítima para as crianças e jovens presentes, fomentando a consciência do uso racional e sustentável dos recursos marinhos por suas famílias, cujo sustento muitas vezes é 100% dependente do mar.

O Navio Doca Multipropósito “Bahia” e as Fragatas “Independência” e “Defensora” receberam os convidados que conheceram as instalações das embarcações e um pouco sobre a vida a bordo, as tradições navais, a importância do mar para o País e o trabalho que a Marinha realiza, diariamente, a fim de proteger o litoral brasileiro e também os rios, zelando pela segurança da navegação e a salvaguarda da vida humana no mar. “Eu sou filha de pescador e fico muito mais aliviada em saber que quando meu pai sai para pescar, a Marinha estará lá no mar protegendo, se acontecer alguma coisa com ele.”, contou Emanoele Vitória Nascimento, de 15 anos.

Assista ao vídeo:

 

 

 

Galeria de fotos: 
Agência Marinha de Notícias