Conheça a tropa brasileira preparada para agir com eficiência e prontidão em missões da Marinha

Leia Mais

Conheça a tropa brasileira preparada para agir com eficiência e prontidão em missões da Marinha

Conhecida como a “Força que vem do mar”, a FFE garante capacidade de atuação do mar para terra
06/02/2024
Primeiro-Tenente (RM2-T) Vanessa Mendonça
Rio de Janeiro, RJ
A Marinha do Brasil (MB) possui meios de Fuzileiros Navais em permanente condição de pronto emprego, que asseguram a capacidade da Força Naval de projeção de poder do mar para terra. Isso se dá por meio do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), conhecido como o conjugado anfíbio da MB, do qual faz parte a Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE), que completa, hoje (6), 67 anos, de atuação na organização e preparo de grupamentos operativos de Fuzileiros Navais para realizar operações anfíbias de guerra naval, como as operações anfíbias e ribeirinhas, passando pelas atividades de emprego limitado da força, como as operações de paz, até as atividades benignas, como as de apoio à defesa civil.
 
Conhecida como “A Força que vem do mar”, a FFE é responsável também por gerenciar as missões de paz no exterior que envolvam tropas de Fuzileiros Navais e, entre elas, está o Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais de Emprego Rápido em Força de Paz, a primeira tropa brasileira a receber o mais alto nível de certificação no Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz da Organização das Nações Unidas (ONU).
 
‘‘A permanente condição de pronto emprego dos Fuzileiros Navais atende à Estratégia Nacional de Defesa e demanda que as tropas da FFE sigam um rigoroso ciclo de adestramento, que as capacita para atuar em todo o espectro das operações militares, desde um combate real, em operações de guerra naval, perpassando o emprego limitado da força, como nas operações de Garantia da Lei e da Ordem, e em operações benignas, como as operações de assistência humanitária”, reforçou o Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, Vice-Almirante (Fuzileiro Naval) Renato Rangel Ferreira.
 
Uma cerimônia em comemoração ao 67º aniversário da FFE foi realizada nesta terça-feira (6), no Rio de Janeiro. Na ocasião, foram reverenciados os militares que se destacaram ao longo da carreira. ‘‘É uma grande felicidade e satisfação poder receber o prêmio pelos dias de manobras e exercícios realizados dentro das atividades da Força de Fuzileiros da Esquadra, perante os meus amigos, em um dia como hoje, em que comemoramos 67 anos da Força de Fuzileiros da Esquadra. Eu fico na certeza de ter escolhido a profissão correta e, através do reconhecimento de todos, confirmo que o sacrifício não foi em vão. Fiquei longe de casa, mas foi em prol de um trabalho gratificante”, disse o Capitão-Tenente (Fuzileiro Naval) Ângelo Rocha, um dos homenageados.
 
Conheça a estrutura da Força de Fuzileiros da Esquadra
A FFE, que na estrutura do CFN é responsável pelo atendimento dos requisitos estratégicos e operativos, é estruturada da seguinte maneira:
- Comando da Divisão Anfíbia, localizado na Ilha do Governador (RJ), está estruturado para executar operações anfíbias e operações terrestres limitadas, necessárias à realização de uma campanha naval;
- Comando da Tropa de Reforço, organizado para prover os elementos de apoio ao combate e de apoio de serviços ao combate, que são imprescindíveis às missões desenvolvidas pelos Fuzileiros Navais;
- Comando da Tropa de Desembarque, serve de núcleo do Componente de Comando de uma Unidade Anfíbia e do Componente de Combate Terrestre de uma Brigada Anfíbia;
- Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais, o Batalhão Tonelero é estruturado para emprego em ambientes hostis, com a finalidade de destruir ou danificar objetivos relevantes em áreas defendidas, capturar ou resgatar pessoal ou material, retomar instalações, obter informações, despistar e produzir efeitos psicológicos;
- Batalhão de Combate Aéreo tem como missão prover os meios para o controle aéreo e para o desdobramento em terra de meios aéreos, bem como realizar a defesa antiaérea dos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais; e
- Base de Fuzileiros Navais do Rio Meriti, cuja atividade principal é prover os meios de comando, controle e administração necessários ao Comando da Força de Fuzileiros da Esquadra e às demais Unidades situadas no Complexo Naval Caxias-Meriti (RJ).
 
Assista ao vídeo:
 
 
Galeria de fotos: 
Agência Marinha de Notícias